por 16:39 Sem categoria

EM SEIS HORAS, COLETIVO RECOLHE 10 MIL ASSINATURAS CONTRA AUMENTO DO ÔNIBUS

EM SEIS HORAS, COLETIVO RECOLHE 10 MIL ASSINATURAS CONTRA AUMENTO DO ÔNIBUS

Em menos de seis horas nesta quarta-feira (21) na Praça Rui Barbosa, o Coletivo de Entidades dos Movimentos Sociais e de Partidos Políticos recolherem mais de 10 mil assinaturas que serão anexadas às denúncias apresentadas ao Ministério Público Estadual (MPE) contra o aumento da tarifa do transporte coletivo de Curitiba.

“Já cumprimos com o nosso objetivo. Vamos retornar a Praça Rui Barbosa na próxima sexta-feira (23) no mesmo horário (das 11h às 15h) para reforçar em mais 10 mil assinaturas e apresentar a maior reclamação coletiva já apresentada ao MPE”, disse Doático Santos, presidente do PMDB. O abaixo-assinado será entregue ainda na sexta-feira, às 15h, ao procurador-geral de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior Neto.

PROTESTO – O coletivo instalou três mesas e filas se formaram para assinar o abaixo-assinado. “A gente depende do ônibus para trabalhar e para fazer quase tudo e vem o prefeito sobe a passagem e o salário continua a mesma porcaria. Não dá para entender”, disse a balconista Márcia de Oliveira, 42, moradora do Sítio Cercado.
Mãe de cinco filhos, a balconista que trabalha num açougue no Bigorrilho veio ao centro atrás de uma consulta de ortopedista para seu marido. “Procurei o posto de saúde e marcaram uma consulta para daqui oito meses. Até parece brincadeira”, disse.

O aposentado João Maria Veiga, 67 anos, assinou o manifesto porque a filha depende o transporte coletivo e “ganha muito pouco”. “Não dá para aumentar o preço da tarifa sem aumentar o salário. Mesmo agora em época de crise, com as empresas reduzindo os postos de trabalho, enxugando tudo, horas extras, custos”, disse.

ABSURDO – Isabela Ribeiro, estudante e trabalhadora, moradora da Fazendinha, disse que usa três passagens por dia, o que vai significar R$ 145,00 mensais. “Pego o ônibus em casa e vou trabalho. Do trabalho pego um ônibus até a escola e da escola, pego outro ônibus para voltar para casa. O transporte coletivo já é 30% do meu rendimento. Isso é um absurdo”, disse.

A diarista Jurema Ribeiro dos Santos, 30 anos, moradora do Pinheirinho, também usa, em média três passagens por dia. “Os R$ 1,90 já era caro. Esse novo aumento nem se fala. Eu uso o ônibus para ir ao trabalho e para estudar no Cebja porque faço o supletivo. Não posso concordar com um aumento desses e por isso que espero que o prefeito se sensibilize e manda voltar a tarifa anterior”.

A estudante Dieny Crestani, 20 anos, cursa Geografia na Universidade Federal do Paraná, disse que o aumento pesa ao orçamento dos estudantes. “R$ 4,40 diários é muito. Eu moro no centro, pago aluguel, tem ainda a alimentação e outros custos e tenho que me deslocar diaramente ao centro politécnico da federal. Curitiba passou a ter a passagem de ônibus mais cara do país”, protestou.

AUDIÊNCIAS – O vereador Jonny Stica (PT) acompanhou o recolhimento das assinaturas e disse que a pressão popular respaldará as denúncias apresentadas ao MPE. “É impressionante a adesão que estamos tendo contra o aumento da tarifa de ônibus. Tenho certeza que essas assinaturas – devemos chegar a 20 mil até sexta-feira – vai sensibilizar o MPE e respaldar as denúncias e até ação popular do Partido Verde”, disse.

Stica disse que os vereadores da Oposição – as bancadas do PT (Jonny Stica, Pedro Paulo e Professora Josete) e do PMDB (Algaci Túlio e Noêmia Rocha) – vão debater o aumento no retorno do legislativo municipal em fevereiro. “Vamos fazer audiências públicas e a mobilização e pressão popular são muito importantes para reverter esse aumento”, disse Stica.

O PT espera contar com o apoio da bancada do PV (Luciano Aladim, Professor Galdino e Roberto Aciolli) já que a direção dos verdes apóia o coletivo de partido e entidades e ingressou com uma ação popular contra o aumento do transporte coletivo.

por 16:36 Sem categoria

EM SEIS HORAS, COLETIVO RECOLHE 10 MIL ASSINATURAS CONTRA AUMENTO DO ÔNIBUS

Em menos de seis horas nesta quarta-feira (21) na Praça Rui Barbosa, o Coletivo de Entidades dos Movimentos Sociais e de Partidos Políticos recolherem mais de 10 mil assinaturas que serão anexadas às denúncias apresentadas ao Ministério Público Estadual (MPE) contra o aumento da tarifa do transporte coletivo de Curitiba.

“Já cumprimos com o nosso objetivo. Vamos retornar a Praça Rui Barbosa na próxima sexta-feira (23) no mesmo horário (das 11h às 15h) para reforçar em mais 10 mil assinaturas e apresentar a maior reclamação coletiva já apresentada ao MPE”, disse Doático Santos, presidente do PMDB. O abaixo-assinado será entregue ainda na sexta-feira, às 15h, ao procurador-geral de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior Neto.

Clique aqui e veja a íntegra da materia.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com