por 10:36 Sem categoria

Sem salários, funcionários terceirizados cruzam os braços

"Os trabalhadores responsáveis pelo controle da dengue e pela desratização na cidade de Curitiba cruzaram os braços ontem. A paralisação ocorreu porque os 120 funcionários da Saneamento Ambiental e Urbano (SAU), empresa contratada pela prefeitura, não receberam salário, vales-refeição e vales-transporte neste mês." Matéria desta terça-feira (12) na Gazeta do Povo, em que pese que ratos estão tomando conta dos bairros de Curitiba. Íntegra da reportagens em Reportagens.

por 10:34 Sem categoria

Sem salários, funcionários terceirizados cruzam os braços

Sem salários, funcionários terceirizados cruzam os braços

Os trabalhadores responsáveis pelo controle da dengue e pela desratização na cidade de Curitiba cruzaram os braços ontem. A paralisação ocorreu porque os 120 funcionários da Saneamento Ambiental e Urbano (SAU), empresa contratada pela prefeitura, não receberam salário, vales-refeição e vales-transporte neste mês.

De acordo com os trabalhadores, o pagamento teria de ter ocorrido no quinto dia útil do mês, ou seja, no último dia 7. A SAU não quis dar qualquer declaração à imprensa, mas, de acordo com os funcionários que fizeram a paralisação, a empresa informou a eles que a prefeitura não havia feito o repasse do dinheiro e por isso o pagamento teve que sofrer atraso.

A prefeitura, no entanto, informou, por meio da assessoria de imprensa, que, de acordo com o contrato firmado com a SAU, o repasse teria que ter acontecido no último dia 10. E, portanto, não havia atraso, já que o dinheiro foi passado ontem, primeiro dia útil posterior ao dia 10.

“A SAU tem de ter uma caixa reserva para qualquer problema eventual”, critica o diretor tesoureiro do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação de Curitiba e região (Siemaco), João Gerônimo Filho.

“Como não recebi o meu salário, tive que atrasar o pagamento da pensão alimentícia do meu filho. Conversei com a mãe do garoto para não ter problema de me prenderem por causa disso”, conta o funcionário da SAU Luigi Marchiori. “Gostaríamos de pedir desculpas à comunidade pela paralisação, mas essa é a única forma de conseguirmos alguma coisa”, afirma João Gerônimo Filho.

Na tarde de ontem, a SAU fez o pagamento do vale-refeição aos funcionários e informou que o depósito do pagamento dos salários teria sido efetuado às 13 horas. O dinheiro, no entanto, não havia entrado na conta bancária dos trabalhadores até as 17 horas. “Enquanto não houver o pagamento continuamos em greve”, afirma Gerônimo Filho. Um nova assembléia foi marcada para hoje, às 7h30, na frente da empresa, para decidir o rumo da greve. Segundo Gerônimo Filho, a SAU é única empresa que presta serviços para a prefeitura que atrasou os pagamentos neste mês.

Themys Cabra

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com