por 16:16 Sem categoria

PMDB DE CURITIBA MOSTRA CUSTOS DA LINHA VERDE NA BOCA MALDITA

O PMDB revela neste sábado, 19, as 11h na Boca Maldita, quais são os custos reais da construção da Linha Verde – a obra mais decantada em verso e prosa pela gestão de Beto Richa (PSDB). “A Linha Verde é o tema deste sábado do Comitê Popular Moreira Prefeito na Boca Maldita”, disse o presidente do PMDB, Doático Santos. Do site www.frenteampla.com. Veja a íntegra do artigo clicando no

LEIA MAIS

por 16:15 Sem categoria

PMDB DE CURITIBA MOSTRA CUSTOS DA LINHA VERDE NA BOCA MALDITA

PMDB DE CURITIBA MOSTRA CUSTOS DA LINHA VERDE NA BOCA MALDITA

O PMDB revela neste sábado, 19, as 11h na Boca Maldita, quais são os custos reais da construção da Linha Verde – a obra mais decantada em verso e prosa pela gestão de Beto Richa (PSDB). “A Linha Verde é o tema deste sábado do Comitê Popular Moreira Prefeito na Boca Maldita”, disse o presidente do PMDB, Doático Santos.

Até os jornalões – como diz o governador Roberto Requião – já trazem matérias e manchetes garrafais sobre o atraso enorme da obra mais cobiçada do prefeito. A obra atrasou, vai atrasar ainda mais: falta de dinheiro, projeto errado e outros problemas jogam a Linha Verde para um futuro incerto. A dor de cabeça dos moradores da região não vai acabar nos próximos três anos se depender do prefeito.

O jornal “Gazeta do Povo, do dia 4 de junho, diz o seguinte: a primeira parte da Linha Verde, entre o Pinheirinho (zona Sul) e o Jardim das Américas (zona Leste), só ficará pronta em dezembro – um atraso de sete meses do cronograma inicial. “Para a segunda fase da Linha Verde, entre o Jardim das Américas e o Atuba, ainda não há recursos garantidos. A prefeitura tenta captar novo empréstimo do Banco Interamericano de Desenvolvimento”, diz o jornal.

Nem a campanha milionária da prefeitura consegue esconder: a obra é um fiasco, sangra a economia dos curitibanos e vai ficar pronta, isso com muito esforço, só em 2011. O pior, segundo o presidente do próprio Ippuc, Cantos Neto, a primeira etapa já custou R$ 350 milhões e pode precisar de mais R$ 150 milhões e será entregue somente em 2011. É o que diz o jornal valor Econômico do dia 30 de junho.

Com essa dinheirama a prefeitura poderia acabar ou minimizar problemas crônicos da cidade. Com os R$ 350 milhões podem se construir 24 mil casas, 1.650 creches, 350 escolas, 1.750 postos de saúde, 1.300 ginásios de esporte, 1.750 bibliotecas e 2.500 barracões industriais para geração de emprego e renda.

Com esse dinheiro dá para pavimentar 1.346 quilômetros de asfalto, comprar 14.983 carros populares, 5.409 ambulâncias e 3.977 caminhões. “Essa é a farra do dinheiro público mal aplicado e que poderia resolver problemas graves que Curitiba enfrenta hoje, ao invés de atender a especulação imobiliária da cidade. A Linha Verde só acentua a divisão da cidade entre ricos e pobres”, diz o deputado Cleiton Kielse, candidato a vice-prefeito de Curitiba pelo PMDB.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com