por 11:44 Sem categoria

Íntegra do pronunciamento do deputado estadual Waldyr Pugliesi, no ato em protesto contra a censura.

Companheiros: sou do MDB e do PMDB. Durante décadas construímos um partido para que ele, no seu trabalho, colocasse fim a ditadura que estava instalada neste país. Durante anos e anos, nós empenhamos a coragem cívica e moral do povo brasileiro através da nossa organização partidária para que pudéssemos ter um país livre, com as liberdades democráticas a disposição de toda a nossa população. Leia na íntegra em Reportagens.

por 11:00 Sem categoria

Íntegra do pronunciamento do deputado estadual Waldyr Pugliesi, no ato em protesto contra a censura

Íntegra do pronunciamento do deputado estadual Waldyr Pugliesi, no ato em protesto contra a censura

Companheiros: sou do MDB e do PMDB. Durante décadas construímos um partido para que ele, no seu trabalho, colocasse fim a ditadura que estava instalada neste país. Durante anos e anos, nós empenhamos a coragem cívica e moral do povo brasileiro através da nossa organização partidária para que pudéssemos ter um país livre, com as liberdades democráticas a disposição de toda a nossa população.

Hoje, sob o caminhar do MDB e do PMDB fizemos com que as coisas mudassem neste país. Portanto hoje, no PMDB, naquilo que ele tem de mais verdadeiro, o verdadeiro PMDB, sucessor do MDB, tem em todo país muita condição moral para fazer aquilo que nós estamos fazendo aqui hoje, um ato contra a censura que querem fazer com que ela volte ao nosso país.

É inaceitável que estas coisas possam acontecer e quero dizer aqui, de antemão, vendo o maior jornal do Paraná dizendo o seguinte: PMDB ameaça juiz com suposto dossiê. Sou presidente do PMDB do Paraná e não temos na nossa prática a mania de ameaçar quem quer que seja.

Este ato aqui é um ato do PMDB em defesa de um companheiro, que é o companheiro Roberto Requião, que está sendo por alguns manhetado no direito que ele tem de fazer a defesa do interesse público. Não estamos aqui para ameaçar quem quer que seja.

Agora queremos dizer o seguinte: todo mundo tem o direito, porque fui constituinte e sei, que lá no artigo 5º da Constituição, em seu parágrafo 4º, está garantida a livre manifestação de pensamento.

Então vocês vejam como é que está colocada a nossa sociedade. O partido, o próprio nome diz, ele representa uma parcela da população do Estado, aqui no nosso caso. Nós fizemos uma proposta ao povo do Paraná, ela foi aceita, foi vitoriosa. Então assume esta grande parcela de paranaenses através do governador Requião, o Governo do Estado, para colocar em prática aquilo que foi proposto à população.

Nós somos defensores da liberdade, temos nojo da ditadura e daqueles que pregam a falta de liberdade. Nós não podemos, como peemedebistas, sermos fracos ou frouxos neste momento, na defesa das prerrogativas constitucionais.

Estão todas a nossa disposição, nós suamos sangue neste país para fazer uma nova Constituição. Então volto a repetir aqui, esta é uma reunião do PMDB, o maior partido do Brasil. É uma reunião de homens e mulheres que não se conformam com a violência que está sendo praticada contra um dos seus membros.

A própria OAB discorda das decisões que foram tomadas pelo ilustre desembargador. A própria OAB, volto a repetir, não concorda com aquilo que foi praticado por este juiz. Imagine se quiserem então agora agir contra a OAB porque está dizendo.

Mas esta própria Associação diz o seguinte, “nós não aprovamos o ato praticado pelo desembargador, porque ele, parte interessada neste procedimento, determina que seja feita de 15 em 15 minutos na televisão Educativa do Paraná, a nota da Ajufe que lhe é favorável”.

Então, vejam bem, os constitucionalistas estão discordando aquilo que foi feito pelo desembargador, a OAB está discordando e nós estamos aqui na defesa dos preceitos constitucionais de garantir as liberdades que precisam imperar acima de tudo.

Os próprios da justiça dizem, quando vocês se sintam agravados, na medida do agravo recebido, reclamem, entrem na justiça para procurar o remédio e nós podemos dizer aqui com muita força, nós não aceitamos a censura prévia de jeito nenhum, de maneira nenhuma. Nós estamos no século 21, lutamos pela liberdade.

Este partido tem através do seu companheiro, governador Requião e pergunto a vocês, quem é que tem mais força moral ou coragem cívica do que o nosso governador que faz um enfrentamento de tudo e de todos em defesa do interesse público que é sagrado.

Nós do PMDB assumimos o governo do estado através do nosso companheiro para colocar o interesse público acima de tudo e não podemos muitas vezes chegarmos a população porque as notícias muitas vezes são escondidas, não são publicadas e a população muitas vezes não toma conhecimento daquilo que está acontecendo, daquilo que está sendo feito.

É uma visão nossa, que a TV Educativa tem sim a obrigação de mostrar aquilo que está sendo feito, que está se propondo e é preciso que nós tomos tenhamos muito claro que isso é necessário porque temos muitos outros dias de comunicação totalmente interrompida.

Não vamos discutir estas questões aqui, mas quero dizer a todos vocês do PV, do PCdoB, do PT, companheiros que estão aqui, que esta é uma manifestação de solidariedade ao governador Requião, ao companheiro Roberto Requião.

É um ato contra a censura que está tendo seu esboço desenhado novamente nos horizontes nossos. Não podemos concordar com isso, volto a repetir companheiros que não é uma manifestação contra quem quer que seja, é a favor da liberdade, da democracia, do interesse público.

É uma manifestação uníssona do nosso partido na defesa de um companheiro que dedicou sua vida a fazer a construção, juntamente com nós todos do regime democrático que impera aqui. A democracia plural vê dentro de si o contraditório, o conflito ideológico e nós que somos democratas aprendemos a respeitar todos aqueles que discordam de nós mesmos, mas não podemos ficar a margem como se nada estivesse acontecendo.

Não é assim, coisas gravíssimas estão sendo fabricadas, construídas por aqueles que talvez tenham saudades da ditadura. Não queremos estas coisas de volta, portanto este é um ato de afirmação nos valores democráticos.

Fechar