por 10:23 Sem categoria

ASSOCIAÇÃO E SINDICATO DE DELEGADOS REPUDIAM MATÉRIA DA GAZETA DO POVO

“Os delegados vêm a público dizer que nunca, em toda a história da Polícia Civil do Estado, houve tanto investimento e valorização da instituição quanto neste primeiro e segundo governo de Roberto Requião. De uma realidade de descaso, com viaturas sucateadas, armamento velho e que colocava em risco a vida do policial, delegacias caindo aos pedaços, policiais desestimulados e mal treinados, com salários simbólicos, a Polícia Civil passou para outro patamar. Hoje, nossos policiais não deixam de cumprir diligências por falta de viaturas, pois foram comprados 1.300 novos veículos. Nossas delegacias receberam a significativa cifra de R$ 10 milhões em reformas, além da compra de mobiliário e materiais de informática. Nossos homens receberam 1.800 armas modernas e 1.100 coletes balísticos, algemas e outros equipamentos para o bom desempenho nas ruas” – trecho da nota dos delegados da Polícia Civil do Paraná que repudiaram matéria da Gazeta do Povo deste domingo (20).

Leia Mais

por 10:20 Sem categoria

ASSOCIAÇÃO E SINDICATO DE DELEGADOS REPUDIAM MATÉRIA DA GAZETA DO POVO

ASSOCIAÇÃO E SINDICATO DE DELEGADOS REPUDIAM MATÉRIA DA GAZETA DO POVO

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol), o Sindicato dos Delegados da Polícia Civil do Estado do Paraná (Sidepol), o delegado-geral da Polícia Civil, Jorge Azôr Pinto, o delegado-geral-adjunto Francisco José Batista da Costa, a Divisão de Investigações Criminais, Divisão Policial da Capital, Divisão de Polícia Especializada, Divisão de Polícia Metropolitana, Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, Divisão de Infra-Estrutura e o Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) repudiaram a matéria publicada pela Gazeta do Povo no último domingo (20), sobre a Polícia Civil. Leia a íntegra da nota de repúdio.

Os delegados vêm a público dizer que nunca, em toda a história da Polícia Civil do Estado, houve tanto investimento e valorização da instituição quanto neste primeiro e segundo governo de Roberto Requião. De uma realidade de descaso, com viaturas sucateadas, armamento velho e que colocava em risco a vida do policial, delegacias caindo aos pedaços, policiais desestimulados e mal treinados, com salários simbólicos, a Polícia Civil passou para outro patamar. Hoje, nossos policiais não deixam de cumprir diligências por falta de viaturas, pois foram comprados 1.300 novos veículos. Nossas delegacias receberam a significativa cifra de R$ 10 milhões em reformas, além da compra de mobiliário e materiais de informática. Nossos homens receberam 1.800 armas modernas e 1.100 coletes balísticos, algemas e outros equipamentos para o bom desempenho nas ruas.

Para liberar mais policiais para o trabalho de investigação, já está em trâmite a instalação de mais celas modulares em Piraquara e Araucária, totalizando 1.020 novas vagas, que absorverão os presos que ainda se encontram em delegacias da Região Metropolitana de Curitiba, 11.º e 12.º Distritos da capital, Delegacia de Furtos e Roubos e Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos.

Além de todo este investimento em infra-estrutura, nunca se investiu tanto em treinamento de policiais. Os cursos são diversos e constantes. Durante o ano todo, a Escola Superior de Polícia Civil oferece treinamento prático de “uso legal da arma de fogo”. Só agora, em 2008, já foram registradas 2.400 presenças. Este treinamento também acontece em Ponta Grossa e Guarapuava, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão e Londrina. Nas segundas e quartas-feiras também é ministrado curso de defesa pessoal para qualquer policial que queira aprimorar suas habilidades.

Além das 489 contratações realizadas desde 2003, o concurso que já foi homologado pelo governador Roberto Requião para a contratação de mais 542 policiais certamente vai suprir a necessidade de mais pessoal nas delegacias. O curso de formação dos novos policiais deve iniciar em agosto e a previsão é que, em dezembro, já possam desempenhar suas funções. Os salários receberam reajustes de mais de 40%, a partir de 2005. Para se ter uma idéia, um investigador de 5.ª Classe e com curso superior recebia, em 2003, R$ 1.236,53. Em 2005, o mesmo policial com curso superior passou a receber R$ 1.828,97.

Os reflexos de todos estes investimentos se apresentam nos números recordes de conclusões de inquéritos policiais. Em 2007, foram instaurados 57.750 inquéritos no Paraná e concluídos 64.452 inquéritos. Houve um aumento de 35,89% na conclusão de inquéritos de 2006 para 2007 e um aumento de 33,4% de inquéritos solucionados, se somarmos o número de inquéritos concluídos com a prisão do autor e com a definição de autoria.

Por todos estes motivos a Polícia Civil reitera seu manifesto de repúdio à matéria publicada na Gazeta do Povo, que se limitou a criticar problemas que já estão sendo solucionados, desvalorizando a instituição como um todo.

Assinam: Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Adepol), Sindicato dos Delegados da Polícia Civil do Estado do Paraná (Sidepol), delegado geral da Polícia Civil, delegado Geral Adjunto, Divisão de Investigações Criminais, Divisão Policial da Capital, Divisão de Polícia Especializada, Divisão de Polícia Metropolitana, Divisão de Crimes Contra o Patrimônio, Divisão de Infra-estrutura e Cope.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com