por 16:54 Sem categoria

Vereador do PSB pode ter que voltar atrás no apoio a CI da Fazenda

Vereador do PSB pode ter que voltar atrás no apoio a CI da Fazenda

O vereador Tadeu Madeira (PSB) poderá ter que voltar atrás e retirar a assinatura do requerimento apresentado pelo vereador Geraldo Martins (PT), para criar uma Comissão de Inquérito (CI) para investigar as suspeitas de fraude na arrecadação de tributos municipais na Secretaria da Fazenda de Foz do Iguaçu. A informação é do deputado estadual Reni Pereira, principal liderança do partido e possível candidato à prefeitura municipal pelo PSB.

De acordo com Reni Pereira, a decisão de enquadrar Madeira caberá a nova Executiva Municipal do PSB, empossada durante a semana. “Cabe a essa instância o acompanhamento do vereadores. Mas posso adiantar que se essa CI não tiver uma boa justificativa, a executiva local vai fazer o vereador voltar atrás”, reforçou o deputado.

A CI apresentada por Martins, vem na esteira da investigação promovida pela Comissão de Economia, Finanças e Orçamento presidida por Valentin Gustavo da Silva (PRP), com base em denúncia apresentada no Plenário da Câmara pelo vereador Djalma Pastorello (PSDB). De acordo com Pastorello, algumas empresas estariam se beneficiando com redução de até 90% dos valores devidos do ISS (Imposto Sobre Serviços), cobrados pela Secretaria Municipal da Fazenda. As investigações até agora apontam envolvimento de servidores do primeiro escalão do prefeito Paulo Mac Donald Ghisi (PDT).

“CI é para documentar e acionar o Ministério Público (MP) e só”, informou Reni. O deputado, que tem grande conhecimento em política fiscal e tributária, foi taxativo ao avaliar o comportamento do vereador do PSB. “Não será admitida nenhuma manobra ou operação abafa, se o MP já tá investigando, essa CI não soma nada, porém é a executiva de Foz quem dá a última palavra”.

Em tempo: a Executiva do PSB de Foz do Iguaçu é formada por sete membros, entre eles Anderson Kobus (presidente), Jéferson Balsevicius (vice-presidente), Emerson Dapré (secretário geral) e Aléxis dos Santos (secretário de finanças). Em relação as denúncias apresentadas pelo presidente do Sismufi (Sindicato dos Servidos Públicos Municipais de Foz do Iguaçu), o deputado disse que ainda não tinha tomado conhecimento e que só fará uma avaliação do caso após se informar.

PÓLO TECNOLÓGICO – Reni Pereira também comentou a falta de iniciativa do prefeito Paulo Mac Donald, para atrair a instalação de empresas na área de tecnologia com isenção de impostos, conforme prevê lei aprovada pelo deputado na Assembléia Legislativa. “Eu sou deputado, legislo. O problema é que o prefeito não executa. Falta ação efetiva do Paulo”, desabafou.

De acordo com o deputado, em Foz do Iguaçu a isenção é quase zero para as saídas de produtos tecnológicos para dentro do Estado. “Em Curitiba não há isenção nenhuma e o projeto está acontecendo”, comparou. “O Paulo é míope, essa lei é para gerar empregos na fronteira, parece que ele não entende assim e por isso não fez nada”, completou.

A lei do Pólo Tecnológico, criada com base em projeto de Reni, pode não estar servindo para atrair indústrias do setor para Foz do Iguaçu, em compensação em Pato Branco e Francisco Beltrão o setor não pára de crescer. Os benefícios foram estendidos para às duas cidades graças a uma emenda aprovada pelo deputado Augustinho Zuchi do PDT, mesmo parido de Mac Donald.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com