por 18:59 Chico Brasileiro, Foz do Iguaçu, Itaipu Binacional

Um iguaçuense na Petrobras

Felizes os que promovem a paz, porque serão chamados de filhos de Deus  – Mateus 5:9

Chico Brasileiro

O general Joaquim Silva e Luna vai se despedir em breve de nós para assumir a cadeira da presidência da Petrobras em uma missão confiada pelo presidente Jair Bolsonaro. Tenho a certeza que o desempenho à frente da Itaipu será o mesmo na maior petrolífera do mundo. Outra certeza é que teremos este ‘iguaçuense’ por adoção, que veio morar na nossa cidade, e que essa ligação fraterna vai se perdurar por um bom tempo na vida e no cotidiano de Foz do Iguaçu.

Neste curto período de dois anos, o conheci, passei a admirá-lo como gestor público e hoje o tenho como um dileto amigo que consulto rotineiramente sobre os mais variados temas, principalmente sobre os projetos que estão transformando Foz do Iguaçu numa cidade mais humana, sustentável e justa para seus moradores. E também para os turistas que vêm conhecer as Cataratas do Iguaçu, a usina de Itaipu, além de outros atrativos que cada vez mais se diversificam nesta região trinacional do Brasil, Paraguai e Argentina.

Alguns até podem dizer que um legado não se constrói em dois anos, mas é exatamente isso que o general Silva e Luna deixa em Foz do Iguaçu, na região oeste e no Paraná. Com uma gestão austera e enxuta, a usina mudou sua estratégia de ação na região e investiu R$ 2,5 bilhões em grandes obras de infraestrutura e outras tão necessárias. 

Desse montante, a maioria das obras e investimentos estão em Foz do Iguaçu, passam da casa de R$ 1,2 bilhão e serão entregues neste ano e em 2022. Esta parceria da Itaipu entre a prefeitura e os governos estadual e federal, representa 21 dos 31 projetos investidos pela usina na região.

Nesse conjunto de obras em execução ou para executar se destacam a construção da ponte sob o rio Paraná entre o Porto Meira e a cidade paraguaia de Presidente Franco e a reforma e ampliação do aeroporto internacional. Outra obra que terá início nos próximos dias é a Perimetral Leste, uma via de 14 quilômetros, que vai ligar pela região leste da cidade a BR-277 com a Avenida das Cataratas.

Somente essas duas obras significam R$ 463 milhões em investimentos e até abril começa a duplicação dos oito quilômetros da Rodovia das Cataratas. Serão mais de R$ 140 milhões que significam também mais empregos criados. Aliás, as obras custeadas pela Itaipu mais as obras municipais criaram e vão criar três mil empregos nas frentes de trabalho

Essas obras, na maioria estruturantes, vão mudar a configuração urbana de Foz Iguaçu. O general Silva e Luna e toda a sua equipe da Itaipu abraçaram as demandas que têm proporcionado uma guinada histórica na cidade ao firmar essas parcerias para a construção de pequenos, médios e grandes projetos muito importantes.

As nossas parcerias não param nestas obras já listadas. Em licitação, estão a construção do hemonúcleo e do laboratório de medicina tropical e em contratação, o centro integrado de segurança, a atualização tecnológica do hospital municipal Germano Lauck e o estudo de viabilidade técnico do ramal ferroviário entre Foz do Iguaçu e Cascavel.  

Outras obras já estão em projetos executivos: o Complexo Beira Foz, avenida que margeia o rio Paraná, a pista de atletismo e as reformas das delegacias da mulher e do turismo, e do instituto de identificação.

Tenho certeza também que a Itaipu Binacional, sob o comando do general João Francisco Ferreira, vai continuar investindo no turismo e em outras frentes importantes para garantir o desenvolvimento que Foz do Iguaçu e a região merecem. O general Joaquim Silva e Luna nos fará falta da convivência diária, mas continuará como exemplo de um gestor comprometido com a nossa cidade e levará o carinho de todos os iguaçuenses.

Chico Brasileiro, dentista e servidor público, é prefeito de Foz do Iguaçu

Fechar