Written by 10:00 Curitiba, Trânsito

Transporte coletivo em Curitiba perdeu mais de 5 milhões de passageiros em 2019

O sistema de transporte coletivo de Curitiba sofreu mais um forte tombo em 2019. Segundo levantamento feito pelo Bem Paraná com base em dados do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), ao longo de todo o ano passado os ônibus perderam pouco mais de 5 milhões de passageiros pagantes, o que aponta para a perda de 13,7 mil passageiros por dia, em média. Informações Bem Paraná.

Os dados da Setransp consideram o número total de ‘passageiro pagante equivalente’, o equivalente ao número real de usuários que pagaram para utilizar o sistema. Um estudante, por exemplo, paga meia tarifa, o que torna necessário dois estudantes para termos um passageiro pagante equivalente.

Ao longo de todo o ano passado, 171,74 milhões passageiros pagaram para se locomover de ônibus na capital. Em 2018 haviam sido 176,74 milhões, enquanto em 2017 o número foi de 179,63 milhões. Isso significa que desde 2017 o sistema perdeu um total de 7,89 milhões de passageiros pagantes.

Além disso, a diferença entre a projeção de passageiros feita pela Urbs e o número de passageiros que efetivamente pagou para tomar um ônibus voltou a crescer. Em 2018, por exemplo, essa diferença ficou em 3,406 milhões ou 1,89%. Em 2019, já saltou para 6,916 milhões ou 3,87% – e isso mesmo com a previsão sa Urbs sendo reduzida de 180 milhões para 178,6 milhões de um ano para o outro.

Na RMC, estabilidade
Se em Curitiba o sistema de transporte coletivo segue sangrando, por outro lado na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) a Comec anunciou que conseguiu, pelo menos, dar uma estancada no problema. É que o número de passageiros nas linhas metropolitanas ficou estável em 2019, após acumular uma queda de pouco mais de 25% nos quatro anos anteriores.

Em 2015, cerca de 8,5 milhões de pessoas utilizaram os ônibus para se locomover entre cidades da Região Metropolitana de Curitiba, volume que caiu gradativamente. Em 2016 foram 7,9 milhões. O ano de 2017 registrou a maior queda no período, -10,32%, com apenas 6,5 milhões de usuários, e em 2018 foram 6,3 milhões.

No ano passado, porém, esse quadro mudou e a Comec registrou 6.303.873 passageiros pagantes. O número representa uma queda de -0,19% se comparado a 2018, quando foram registrados 6.315.981 passageiros.

‘Carro é o vilão do sistema’, diz presidente da Urbs

Presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto comenta que a desintegração do sistema de transporte coletivo, em 2015, acabou gerando certa instabilidade e atingiu a credibilidade do sistema junto à população. Na sequência, aponta ele, vieram ainda os aplicativos de transporte, como Uber e 99, os reajustes da tarifa do ônibus. E isso tudo em um cenário de incentivo do governo federal à indústria automotiva.

“São diversos fatores que acirram a concorrência com o transporeer coletivo. Agora, o transporte coletivo é o sistema mais viável. Precisamos fazer campanhas educacionais para entender que quem usa o õnibus colabora não só com o meio ambiente, mas também reduz a poluição visual, sonora, traz qualidade melhor de vida para as pessoas. O carro é o vilão do sistema”, afirma Ogeny.

Ainda segundo ele, medidas como a nova bilhetagem eletrônica, pagamentos via smartphone, cartão de crédito e débito e a renovação da frota de veículos podem ajudar o sistema a se recuperar. Por outro lado, fevereiro está chegando e, com o segundo mês do ano, é hora de discutir possíveis reajustes no valor da tarifa.

“O custo do sistema é diluído pelo número de passageiros. Quando esse custo fica maior do que a tarifa que o passageiro tem capacidade de pagar, se usa o subsídio para baratear o custo do transporte e também podemos trazer investimentos da iniciativa privada para que haja outras fontes de recurso, além da passagem”, afirma Ogeny. “Mas a tarifa pro usuário é definida em fevereiro. Estamos fazendo os cálculos e a tarifa vai ser definida em breve, deve ser anunciada no começo de fevereiro”, finaliza.

Movimento de passageiros no transporte coletivo em Curitiba
2019
Previsão da Urbs 178.653.034,23
Realizado 171.736.755,24
Diferença (realizado-previsão) -6.916.278,99
Diferença em % -3,87%

2018
Previsão da Urbs 180.145.850,00
Realizado 176.738.991,40
Diferença (realizado-previsão) -3.406.858,60
Diferença em % -1,89%

(Visited 6 times, 1 visits today)

Close