Escrito por 09:03 Brasil, Justiça, Política, Segurança e Policial

Tesoureiro da campanha de Dilma em 2014, ministro chamou de ‘vazamento seletivo’ divulgação de depoimento de Ricardo Pessoa

Compartilhe

edinhosilva_jfdiorio_511

O ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, se disse neste sábado, 27, “indignado” com as acusações feitas pelo presidente da UTC, Ricardo Pessoa. Em delação premiada, o executivo teria apontado repasses irregulares à campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Edinho afirmou que toda a arrecadação eleitoral do comitê da petista foi feita dentro da legalidade. As informações são do Estadão.

Edinho foi o tesoureiro da campanha pela reeleição de Dilma. “Me causa indignação que o meu nome tenha sido envolvido em uma delação premiada”, declarou Edinho, em coletiva ao lado do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. “Me causa indignação o vazamento seletivo dessa delação premiada e me causa indignação a construção da tese de criminalização, também seletiva, das doações da nossa campanha, quando outras campanhas também receberam doações semelhantes, com o mesmo caráter.”

“Ao longo da trajetória, nenhum empresário fez qualquer afirmação que insinuasse que os meus diálogos não tivessem ocorrido dentro da legalidade, com lisura e transparência”, acrescentou o ministro.

Ele destacou ainda que as contas de Dilma foram “rigorosamente auditadas e aprovadas por unanimidade” pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e que as contribuições feitas por Pessoa representam “apenas 2%” do total arrecadado na reeleição da petista.

“Eu jamais tive qualquer diálogo com esse empresário que não fosse o diálogo que o tesoureiro de campanha tem, como os demais tesoureiros tiveram com ele. O que ele pactuou foram doações legais, dentro da legalidade”, enfatizou o ministro.

Edinho criticou o que chamou de “vazamentos seletivos” do depoimento e disse que vai constituir advogado e pedir acesso à delação premiada de Pessoa.

“Se confirmado o conteúdo divulgado pela imprensa ­ caso se confirmem as mentiras divulgadas ­, eu tomarei as medidas judiciais em defesa da minha honra”, rebateu Edinho. “O que farão cessar os benefícios decorrentes de uma delação premiada que não expressa as verdades dos fatos.

Close