por 23:54 Sem categoria

Solidariedade ao governo da Venezuela

A Executiva Nacional da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil – CGTB, reunida no dia 5 de junho de 2007, manifestou solidariedade ao governo venezuelano em sua decisão de não renovar a concessão ao canal de televisão RCTV. A nota da CGTB diz prestar  “ total solidariedade ao governo da Venezuela contra a campanha movida pela mídia monopolizada e subserviente ao imperialismo norte-americano com relação à decisão soberana da Venezuela de não renovar a concessão ao canal de televisão RCTV”. 

Direito à soberania – A CGTB diz ainda em seu documento que: “O governo venezuelano tem o direito soberano de decidir sobre concessões de funcionamento de emissoras de rádio e canais de televisão, ainda mais no caso de um canal como a RCTV, cujas ações golpistas são sabidas e noticiadas largamente: mentir, falsificar e deformar a informação, pregar o assassinato do presidente Chávez, patrocinar o frustrado golpe de Estado de 2002 são alguns dos “serviços prestados” pela RCTV. Nossa solidariedade se soma às vozes da União Européia, da União Africana, dos governos da Rússia, Cuba, Nicarágua, Bolívia, China, Colômbia, entre outros, pelo direito soberano da Venezuela”.

por 23:53 Sem categoria

Solidariedade ao governo da Venezuela

Solidariedade ao governo da Venezuela

A Executiva Nacional da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil – CGTB, reunida no dia 5 de junho de 2007, manifestou solidariedade ao governo venezuelano em sua decisão de não renovar a concessão ao canal de televisão RCTV.

A nota da CGTB diz prestar  “ total solidariedade ao governo da Venezuela contra a campanha movida pela mídia monopolizada e subserviente ao imperialismo norte-americano com relação à decisão soberana da Venezuela de não renovar a concessão ao canal de televisão RCTV”. 

Direito à soberania – A CGTB diz ainda em seu documento que: “O governo venezuelano tem o direito soberano de decidir sobre concessões de funcionamento de emissoras de rádio e canais de televisão, ainda mais no caso de um canal como a RCTV, cujas ações golpistas são sabidas e noticiadas largamente: mentir, falsificar e deformar a informação, pregar o assassinato do presidente Chávez, patrocinar o frustrado golpe de Estado de 2002 são alguns dos “serviços prestados” pela RCTV. Nossa solidariedade se soma às vozes da União Européia, da União Africana, dos governos da Rússia, Cuba, Nicarágua, Bolívia, China, Colômbia, entre outros, pelo direito soberano da Venezuela”.

Fechar