por 10:43 Coronavírus no Paraná, Destaques

Rosa Jeronymo incentiva campanha “vacina, eu vou tomar”

A secretária de Saúde de Foz do Iguaçu, Rosa Jeronymo Lima, está divulgando a campanha que circula nas redes sociais sobre a importância da vacinação contra o coronavírus. “Vacina, salva vidas – Vacina Já, eu vou tomar”. No facebook, Rosa Jeronymo, atualizou a foto do seu perfil com a campanha. “A expectativa de iniciar a vacinação ainda em janeiro ou início de fevereiro. A vacina representa a segurança de retorno às atividades que estão paralisadas por conta da pandemia”, disse.

Foz do Iguaçu tem a logística suficiente, reafirmou a secretária, para imediatamente imunizar a população. “Temos estoques de seringas e agulhas, estamos organizando toda a logística e quando esse imunizante chegar, começamos imediatamente a vacinação”.

Assim que atualizou a foto na rede social, o perfil de Rosa Jeronymo recebeu comentários e teve vários compartilhamentos. “Eu vou tomar”, disse uma internauta.

Adesão – A jornalista Cida Costa, da Rádio Cultura, também aderiu à campanha. “É claro que vou tomar”, disse nesta sexta-feira, 8, ao responder a uma pergunta de um ouvinte da emissora. “Eu vou tomar a vacina”, disse outra ouvinte. “Eu vou tomar nos dois braços, uma dose em cada um”, disse outro. “A vacina é fundamental para as escolas voltarem”, alertou uma internauta no Jornal da Cultura.

Os protocolos de uso emergencial das vacinas desenvolvidas pela Universidade de Oxford e pelo Butantan serão entregues à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nesta sexta-feira. Após a aprovação, o Paraná vai receber parte de 2 milhões de vacinas que serão importadas do Instituto Serum, um dos centros da AstraZeneca para a produção da vacina na Índia. As doses deverão ser as primeiras aplicadas em todo País, junto com a Coronavac/Butantan.

“Vamos vacinar, primeiro, os grupos prioritários, a começar pelos profissionais de saúde, são cerca de sete mil, e em seguida os idosos. Vamos utilizar a mesma logística da vacinação da gripe e fazer a vacinação em casa para evitar que os idosos vão para locais de postos de vacinação, como os postos de saúde”, completa.

Em janeiro – A vacina é extremamente importante, segundo Rosa Jeronymo, para vencer a pandemia e a vida, aos poucos, voltar ao normal. “A maior crise sanitária dos últimos anos, a pandemia trouxe um desafio a mais para economia, saúde e educação, mas com apoio da ciência estamos superando esse vírus. Vamos estancar a pandemia, mas as pessoas precisam entender que é necessário continuar usando máscara, higienizando as mãos, evitando aglomeração”.

O governador Ratinho Junior e o secretário estadual de Saúde, Beto Preto, confirmaram ainda nesta quinta-feira, 7, que a vacinação no Paraná deve começar em janeiro em profissionais de saúde e comunidades indígenas isoladas. “O Ministério da Saúde tem anunciado que a partir do dia 20 começa a campanha de imunização em todo o território nacional”, disse Ratinho Junior.

O médico Drauzio Varella foi mais longe ao questionar o medo de algumas pessoas em tomar a vacina. “A chance de provocar algum risco colateral é mínimo. Já existem muitas pessoas vacinadas neste momento, e não tivemos nenhum caso de complicações graves. Ter medo da vacina que não costuma dar complicação grave nenhuma e não tem medo da doença que mata uma porcentagem grande das pessoas que são hospitalizadas?”,disse à imprensa nesta sexta-feira.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com