0 Shares 495 Views

Romanelli e Hiroshi destacam goiaba e café produzidos em Carlópolis e que estão na lista de proteção no acordo entre o Mercosul e a União Europeia

15 de julho de 2019
495 Views

O prefeito de Carlópolis, Hiroshi Kubo (PSDB), entregou nesta segunda-feira, 15, ao deputado Romanelli exemplares da goiaba e dos grãos de café produzidos na cidade e que são destaques no comércio nacional e na exportação para outros países. A goiaba e o café do Norte Pioneiro estão na lista de 36 produtos brasileiros que serão protegidos pelo acordo comercial firmado entre o Mercosul e a União Européia.

“A goiaba vermelha produzida em Carlópolis e consumida no país, é exportada aos países da União Europeia: Espanha, Alemanha, Holanda. Essa goiaba não tem produtos tóxicos e o café gourmet produzido no Norte Pioneiro já tem o reconhecimento nacional e internacional”, disse Romanelli.

Segundo Hiroshi Kubo, cão os produtores que fazem “tudo isso acontecer” em Carlópolis e no Norte Pioneiro. “Temos 900 propriedades de pequenos produtores de café que se reuniram em torno de associações e cooperativas, se fortaleceram e investiram em qualidade e produtividade. A goiaba é outro exemplo: há muito tempo vem se investindo na produção da fruta. Temos também a agropecuária leiteira que está desenvolvendo bastante na cidade”, disse.

Resultados – Romanelli destaca ainda a parceria com o prefeito Hirosshi e o apoio do Estado e do governo federal à cidade e aos produtores. “Os produtores entenderam que para acessar os mercados, o produto tem que ter qualidade e Carlópolis e a sua produção são exemplos. É importante destacar o esforço da prefeitura que faz a diferença porque tem uma política de apoio que valoriza de forma muito intensa a diversificação e, claro, a qualidade daquilo que está sendo produzido no município”.

“Por essas boas práticas que Carlópolis e o prefeito foram premiados pelo Sebrae. O prêmio prefeito empreendedor destaco justamente essas parcerias construídas com as associações de produtores e cooperativas. Está aqui um bom exemplo de política honesta e que pode mudar a realidade de forma muito positiva”, completou o deputado.

A medida prevista no acordo Mercosul-UE impede a reprodução de produtos típicos de Carlópolis em outras regiões ou países. Isso quer dizer, por exemplo, que o único café do Norte Pioneiro que poderá ser comercializado em países da União Europeia, é o grão produzido em cidades desta região. O acordo também barra expressões como ‘tipo’, ‘estilo’ e ‘imitação’ na exportação.

Café – “Esse acordo é fantástico, preserva as origens, dá ao pequeno produtor a possibilidade de oferecer um produto com história e qualidade”, disse o presidente Associação de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná, Luiz Fernando de Andrade Leite, em entrevista à repórter Luciane Cordeiro do G1 Paraná,

O café foi o primeiro produto do Paraná a conquistar a indicação geográfica de procedência em 2012. O produto da região é mais denso, devido a fertilidade do solo e média de temperatura. As plantações recebem cuidados diferenciados e todos os processos do plantio a colheita são relatados em um caderno agrícola. Dessa maneira, as empresa que compram os grãos e consumidores têm acesso as boas práticas adotadas do plantio a colheita.

Para valorizar ainda mais os grãos produzidos, a associação estuda a criação de um código de rastreamento com as informações sobre a produção. “O café com indicação de procedência é o futuro, sem uma ferramenta como essa vai ficar quase que impossível permanecer na atividade”, conclui Luiz Fernando Andrade.

Goiaba – Com a única indicação geográfica de procedência do mundo, a goiaba produzida na região de Carlópolis se destaca pelo tamanho, em média tem 11 centímetros de altura –as comuns têm entre 7 e 8 centímetros -, e pelo peso, cada fruta pesa em torno de 300 e 350 gramas – o normal é ter em torno de 200 gramas. Além disso, a goiaba tem uma casca mais verdinha e é mais suculenta.

Essas características fazem a fruta ser única. Conquistar esse reconhecimento exigiu uma série de adaptações por parte dos produtores. “As propriedades precisaram se adequar, os barracões precisaram ser modernizados e os produtores passaram por capacitações. Os talhões foram identificados por quantidade de pé, idade, espaçamento e variedade. Produzimos as frutas ensacadas, o que é o nosso diferencial”, explicou o presidente da Cooperativa Agroindustrial de Carlópoli, Noriaki Akamatsu.

Os frutos são ensacados quando atingem o tamanho de 1,5 cm. “O acordo (Mercosul-UE) dá mais segurança e proteção ao produto, evita que possamos ser prejudicados comercialmente”, pontuou Noriaki Akamatsu, que cuida de 1.200 pés de goiaba e produz de 30 a 50 toneladas do fruto por safra. (Com informações do G1Paraná).

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.