por 17:53 Destaques, Luiz Claudio Romanelli, Meio Ambiente, Norte do Paraná

Romanelli defende maior rigor na punição de crimes ambientais


O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) defendeu nesta segunda-feira, 11, o rigor da fiscalização que aparou a destruição de vegetação nativa, ocorrida sábado, em São José da Boa Vista, no Norte do Estado. Nove pessoas foram presas e seis máquinas apreendidas, além da aplicação de um total de R$ 252 mil em multas, por agentes da Polícia Ambiental do Paraná. Segundo os policiais, foram desmatados 3,8 hectares do Bioma Mata Atlântica.

“Um crime que traz prejuízos incalculáveis ao meio ambiente. A mesma propriedade já foi autuada em 2019, também por desmatamento de vegetação nativa e desta vez, não pode prevalecer a impunidade. É preciso agir com rigor para que crimes como estes não se repitam”, defende o deputado.

Agentes da Polícia Ambiental e do IAT (Instituto Água e Terra) surpreenderam os operadores das máquinas, que estavam limpando o terreno e já tinham derrubado várias árvores nativas.

Crime — Duas retroescavadeiras, quatro escavadeiras hidráulicas e uma máquina de esteira abriram grandes valetas e fizeram o enterramento de árvores nativas. Todos os envolvidos foram presos em flagrante e encaminhados à Delegacia de Polícia de Wenceslau Braz, onde aguardam a decisão da justiça.

Romanelli destaca que os investimentos estaduais em novas viaturas e capacitação auxiliam na ação de combate a crimes ambientais em todo o Paraná. O deputado lembra que várias viaturas foram entregues em 2020 para reforçar a ação militar, que garantem segurança não apenas nas cidades, como também em áreas rurais.

“Temos conquistado recursos importantes, que incluem a aquisição de viaturas, para que todos os municípios paranaenses tenham condições de garantir segurança, seja no ambiente urbano ou rural. São essas viaturas, algumas distribuídas para a Polícia Ambiental, que garantem ação contra os crimes ambientais, como o ocorrido em São José da Boa Vista”, disse Romanelli.

No ano passado, o IAT emitiu um total de 4.587 multas por infração ambiental, 77% referentes a atentados contra a flora nativa. Os autos de infração somaram R$ 56,2 milhões em multas. Para Romanelli, o mais importante é fazer a prevenção desses crimes, por meio de um trabalho de orientação dos fiscais do IAT.

O deputado orienta ainda que, ao presenciar qualquer ato prejudicial ao meio ambiente, o cidadão entre em contato com o Escritório Regional do IAT mais próximo para fazer a denúncia, que também pode ser feita pelo telefone 181, do Batalhão de Polícia Ambiental – Força Verde. A identidade do denunciante será preservada. “Todos somos responsáveis pela defesa do meio ambiente. Por isso, ao identificar a prática de crime ambiental, denuncie e exerça sua cidadania. Assim, vamos ajudar a manter a fauna e a flora do Estado”.

Fechar