por 16:46 Destaques, Luiz Claudio Romanelli, Paraná, Pedágio

Romanelli afirma que o Paraná não aceita mais 30 anos de pedágio alto

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) afirmou nesta quinta-feira (11), em entrevista para a Rádio Inconfidência de Umuarama, que o Paraná não aceita mais pagar tarifas altas, conforme proposta do Ministério da Infraestrutura para as novas concessões. “Não dá para aguentar 30 anos com mais um modelo ruim. Nossa defesa é por uma licitação pelo menor preço de tarifa”, disse.

Romanelli convidou a população do Noroeste a participar da audiência pública virtual que a Frente Parlamentar Sobre o Pedágio promove nesta sexta-feira (12), a partir das 9h30, para discutir o modelo de concessão proposto pelo governo federal. “Todos os setores podem se manifestar”, disse ele, lembrando que um dos maiores corredores rodoviários do Estado, a PR-323, está incluída no pacote.

O debate com a população pode ser acompanhado pela TV Assembleia, pelas redes sociais do legislativo estadual e pelo aplicativo Zoom. “A Frente Parlamentar é uma ação apartidária, de interesse público, criada para ouvir a sociedade e construir uma solução conjunta”, explicou o deputado.

O deputado disse que a iniciativa dos deputados é uma maneira de sensibilizar e mobilizar a sociedade para debater as futuras concessões. “Estamos conseguindo avançar e fazer o governo federal mudar sua proposta original com pressão popular”, destacou. “Se deixar na mão do governo federal, ele atropela. Quando a gente for ver, já aconteceu”.

Na entrevista, Romanelli abordou os problemas do modelo híbrido, que reduz a competitividade ao estabelecer tarifas pré-fixadas, limites de desconto nos preços e o pagamento de uma espécie de outorga. Ele também criticou o degrau tarifário de 40% após as duplicações e disse que uma das preocupações é com o passivo que ficará dos atuais contratos. “Obras que já foram pagas, e deveriam ter sido realizadas, estão no novo projeto”.

LOTE 4 – Umuarama e grande parte da região Noroeste será impactada pelo Lote 4, que tem uma extensão total de 627,98 quilômetros, e prevê a instalação de cinco novas praças de pedágio. Serão transferidos para a iniciativa privada trechos da BR-272, BR-369, BR-376, PR-182, PR-272, PR-317, PR-323, PR-444, PR-862, PR-897 e PR-986.

ANEL DE INTEGRAÇÃO – As novas concessões de rodovias vão abranger 3.327 quilômetros de rodovias que cortam diversas regiões do Paraná. Cerca de um terço deste total são estradas estaduais. Em relação ao programa atual (2.505 quilômetros), haverá um incremento de pouco mais de 800 quilômetros.

O novo pacote prevê a duplicação de 1.783 quilômetros, a construção de 10 contornos urbanos, 253 quilômetros de faixa adicional nas rodovias já duplicadas e de 104 quilômetros de terceira faixa para apoio ao trânsito. “Há alguns avanços na proposta, mas a questão é o preço do pedágio. A licitação tem que ocorrer pelo menor preço de tarifa”, reafirmou Romanelli.

Fechar