por 00:46 Sem categoria

Requião abre encontro pela integração da América Latina

Requião abre encontro pela integração da América Latina

Os programas sociais, a retomada de empresas públicas, e as ações voltadas contra as políticas neoliberais, contra a privatização das estradas federais e contra a movimentação dos produtos transgênicos são os principais exemplos que o Paraná levará nos três dias de debates da Chamada Geral pela Integração Latino-Americana, a partir desta quinta-feira (5) até o próximo sábado (7) em Curitiba.

“Tivemos quatro anos de ações governamentais em oposição aos modelos neoliberais. Temos mais quatro anos perseguindo a idéia que a economia deve servir a sociedade e não ao contrário”, disse o governador do Paraná, Roberto Requião, que participa da abertura oficial do encontro, ás 15h, desta quinta-feira, no Centro de Convenções de Curitiba.

“Somos um governo que planta árvores. Temos mais de 30 milhões de mudas de espécies nativas para o plantio em matas ciliares. Somos um governo que dá leite, distribuído nas escolas. Conseguimos diminuir em mais de 16% a mortalidade infantil, recorde entre os estados brasileiros. Temos um porto público saudável, que não comercializa soja transgênica. Temos o maior programa de inclusão digital do Brasil: estamos instalando laboratórios de informática em mais de duas mil escolas da rede pública de ensino”, completa Requião sobre o modelo de governo que adotou no Estado.

A chamada geral – evento preparatório ao Fórum Social do Mercosul, que será realizado em janeiro de 2008, também em Curitiba – vai reunir ainda políticos, intelectuais e representantes dos movimentos sociais da América Latina. Foram confirmadas as presenças de Emir Sader, Ana Maria Rodrigues, Bernardo Kucinski, Fernando Lugo, João Pedro Stédile, Raimundo Pereira, Nilson Araújo de Souza, Buscadita Roa, Doutor Rosinha, Ligia Pietro, Maria Esther Udaetha, Maria Arias Guevera e Maritzel Gonzalez Quevedo Alpizar, entre outros convidados.

“É o momento da integração da América Latina avançar pautada pelos interesses dos movimentos sociais. Temos que radicalizar mais na democracia direta porque a maioria dos países do continente, apesar do franco avanço, ainda não se desenvolveu ao ponto de vencer a pobreza e reincluir os marginalizados. Temos que tomar nas mãos o processo histórico e devolver a dignidade aos povos latinos”, argumenta Doático Santos, coordenador do encontro.

Programação – O encontro começa ás 9h de quinta-feira, no Centro de Convenções de Curitiba, com a I Conferência Estadual de Igualdade Racial, promovida pela CUT do Paraná. A seguir, tem-se a apresentação de Fandango, às 14h30, a abertura solene às 15h. Literatura e identidade latino-americana e movimento negro, os dois temas, fecham o primeiro dia da chamada, a partir das 18h e 20h.

A maior parte das atividades da chamada geral se concentra na sexta-feira (6). São cinco plenárias gerais – sindical; aquecimento global, agroenergia, água e meio ambiente; educação e politização dos saberes; a soberania dos povos e a consolidação da democracia na América Latina; a conjuntura econômica, dívida pública e a criação do Banco Sul – e nove mesas de debates: territorialidade e cultura indígena na integração latino-americana; transporte, ferramenta indispensável para integração do Mercosul; cooperação intra-regional, social e descentralizada; informação, conhecimento e software livre; mídia e poder econômico; mulheres do Mercosul – frente ampla pelas conquistas de gênero e raça; identidade latino-americana; superação do analfabetismo como afirmação de direito.

As plenárias e a maioria das mesas serão realizadas no Centro de Convenções de Curitiba. A mesa cooperação intra-regional, social e descentralizada será no Codesul, ás 9h30; e a mesa mulheres do Mercosul – frente ampla pelas conquistas de gênero e raça, será ás 14h no auditório de direito da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Agenda cultural – Além das plenárias, mesas de debates, oficinas, extensões e grupo de discussões, a sexta-feira terá seis apresentações culturais: música das águas, dança dos índios, cultura dos índios, Kisomba – a festa da raça, hip-hop – cultura e movimento, teatro de bonecos – Nau, um poema cênico. Todas as apresentações serão no centro de convenções. A Boca Maldita de Curitiba também será palco de uma manifestação cultural marcada para às 12h.

Na programação cultural de sexta-feira tem ainda o lançamento da Enciclopédia Latino-Americana, coordenada por Emir Sader, e a exibição do documentário “36” sobre a Assembléia Constituinte da Bolívia. E as Madres da Plaza de Mayo serão homenageadas às 14h no auditório da UFPR.

Outros temas – Ainda na sexta-feira, outros seis temas serão debatidos no encontro: grupo de discussão de gays, lésbicas e simpatizantes; seminário estadual de economia solidária, segurança cidadã: sociedade protegida, direitos humanos preservados; migrações, direitos humanos e integração latino-americana; e ações afirmativas para negros: mídia, educação e mercado de trabalho.

No sábado (7) serão realizadas três plenárias – das privatizações, democratização dos meios de comunicação, movimento socais e ato convocatório – e quatro mesas de debates: os sistemas de ensino latino-americanos e a universalização da educação, regularização fundiária e a oficina roda do arco íris. O encontro será encerrado com duas apresentações culturais: Grupo Reggae e Hip-Hop.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com