por 15:32 Sem categoria

PUGLIESI ATACA DE BOMBEIRO NO PMDB

Pugliesi ataca de bombeiro no PMDB

Elizabete Castro [28/05/2008]

O presidente estadual do PMDB, deputado Waldyr Pugliesi, apelou ontem para que os peemedebistas mantenham uma discussão equilibrada sobre a sucessão municipal em Curitiba.

Pugliesi considerou excessivas as declarações do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB), que pediu a renúncia da pré-candidatura a prefeito do reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Carlos Moreira Júnior.

“Todos os candidatos têm o direito de se colocar. Mas devem se colocar com as suas qualificações e não procurando jogar a candidatura do outro para baixo”, comentou Pugliesi, acrescentando que aspirações legítimas não podem conflagrar o partido.

Pugliesi também se referiu aos comentários feitos pelo presidente do diretório do PMDB de Curitiba, Doático Santos, que saiu em defesa de Moreira e chamou Rocha Loures de “riquinho” e o deputado estadual Reinhold Stephanes Júnior, também pré-candidato, de “pulguinha”. Para Pugliesi, o fato de Doático ser cabo eleitoral de Moreira não impede a postulação dos demais e nem deveria influenciar na decisão dos convencionais.

Marcada para o dia 14 de junho, a convenção do PMDB está sendo organizada para homologar a candidatura de Moreira. Mas desde a semana passada, Rocha Loures e Stephanes Júnior decidiram afrontar o favoritismo interno do reitor e anunciaram que vão concorrer à indicação na convenção.

A pesquisa encomendada pela direção estadual do PV ao Instituto Alvorada, que mostrou um pálido desempenho eleitoral do reitor, serviu de munição para Rocha Loures bombardear o adversário.

As análises sobre as chances do reitor na eleição a partir da pesquisa foram consideradas descabidas por Pugliesi. “São avaliações feitas sobre um resultado momentâneo. A caminhada eleitoral nem começou”, afirmou.

(http://www.parana-online.com.br/noticias/index.php?op=ver&id=348598&caderno=15)

Pugliesi quer evitar uma “guerra” no PMDB

O presidente do PMDB paranaense, deputado Waldyr Pugliesi, pediu tranqüilidade aos peemedebistas de Curitiba que estão em pé de guerra a partir da divulgação da pesquisa do Instituto Alvorada, no final de semana. Segundo o deputado, não é possível que o partido faça uma discussão rasteira.

De um lado, o deputado federal Rodrigo Rocha Loures dizendo que a pesquisa foi uma “pá de cal” nas pretensões do reitor Carlos Moreira, e de outro o presidente do PMDB de Curitiba, Doático Santos, tentando boicotar a participação de Rocha Loures e do deputado Reinhold Stephanes Júnior na convenção do dia 14 de junho, mais do que isso, fazendo provocações como a que está exposta no site “Frente Ampla”, chamando os dois deputados de “Riquinho” e “Piolho”.

— Quero que o PMDB encaminhe esta questão em alto nível. Temos que tratar essas questões com muita seriedade, não desmerecendo quem quer que seja, disse Pugliesi.

Na sua avaliação, não é possível que os ânimos fiquem exaltados a partir da avaliação de uma pesquisa que é “um resultado momentâneo, uma fotografia de uma caminhada eleitoral que ainda nem começou. Estamos no quilômetro zero”, atesta Pugliesi que, como dirigente máximo do PMDB, defende o direito de todos os que estão interessados nesta disputa de se colocarem como candidatos.

Pugliesi disse entender a posição do presidente do PMDB de Curitiba. Segundo ele, “o que o Doático tem feito é uma constatação de uma realidade dentro do PMDB de Curitiba que teria decidido pela candidatura de Moreira”.

— Ele está lutando por esta candidatura, aceita o deputado, que, no entanto, assegura que “os membros do diretório do PMDB não têm, necessariamente, que seguir sua orientação. Não é o Doático que vai impedir que o Stephanes e o Rodrigo se apresentem como candidatos”, sentenciou.

(http://www.horahnews.com.br/colunistas/roseli.htm)

PMDB tenta apaziguar correligionários

Curitiba – O presidente do PMDB no Paraná e líder da bancada do partido na Assembléia Legislativa, deputado Waldyr Pugliesi, criticou ontem o comportamento de correligionários da sigla que andam protagonizando ”brigas” sobre as eleições de outubro próximo. Pugliesi se refere ao presidente do PMDB em Curitiba, Doático Santos, e também ao grupo de pré-candidatos à Prefeitura da Capital pelo PMDB que são resistentes ao nome do reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Carlos Augusto Moreira Júnior, preferido do diretório local, e também do governador do Estado Roberto Requião (PMDB), na disputa pelo Executivo. ”Eu espero que os encaminhamentos sobre as eleições sejam mantidos em alto nível”, disse ele.

Pugliesi se irritou com as declarações feitas anteontem pelo deputado federal Rodrigo da Rocha Loures, que se coloca como pré-candidato à Prefeitura de Curitiba. Com base no desempenho do reitor em uma pesquisa eleitoral divulgada pela imprensa no último sábado, Rocha Loures sugeriu que a candidatura do preferido do governador Requião fosse ”definitivamente enterrada”.

Doático respondeu às ”alfinetadas” no seu site e divulgou um material no qual sugere ”apelidos” a Rocha Loures e ao deputado estadual Reinhold Stephanes Júnior, também pré-candidato do PMDB na Capital e um dos críticos da candidatura de Moreira Júnior.

Catarina Scortecci – Equipe da Folha

(http://www.bonde.com.br/folha/folhad.php?id=21667LINKCHMdt=20080528)

Fechar