Escrito por 21:30 Foz do Iguaçu, Meio Ambiente

Projetos de proteção a onça-pintada e da harpia são referências e destaque da Semana do Meio Ambiente

O Projeto Onças do Iguaçu e o Programa de Reprodução de Harpia são referências nacionais e internacionais em conservação e foram destaques da webconferência de abertura da Semana do Meio Ambiente do Grupo Cataratas.

No diálogo, mediado pelo jornalista Wemerson Augusto, os biólogos Yara Melo de Barros, coordenadora-executiva do Projeto Onças do Iguaçu, e Marcos José de Oliveira, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu Binacional, apresentaram resultados dos programas de conservação e falaram sobre o meio ambiente no “novo normal” pós-pandemia.

Conforme o calendário da ONU, o Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado no dia 5 de junho, e, todos os anos celebrada pelo Grupo Cataratas com uma série de atividades, mas devido ao novo cenário, adotou-se o formato on-line.

O tema “Onça-pintada e harpia – conheça essas grandes espécies da Mata Atlântica” foi o primeiro de uma série de assuntos que serão abordados. A programação se estenderá até o dia 8 deste mês.

Segundo Yara, o programa Onças do Iguaçu contribui para aumentar a população do maior felino das Américas no Parque Nacional do Iguaçu, em ações conjuntas com o parque no lado argentino. Na Mata Atlântica, são de 205 a 300 onças-pintadas, e a espécie é considerada criticamente ameaçada nesse bioma.

No lado brasileiro da unidade nacional de conservação, 28 espécimes foram registrados no último censo de 2018; em 2015 eram 22, e apenas 11 no levantamento de 2009. No chamado corredor verde, entre o Brasil e a Argentina, o número de onças-pintadas subiu de 90 para 105, entre 2016 e 2018; eram somente 40 indivíduos no censo de 2005.

(Visited 21 times, 1 visits today)
Close