por 16:45 Sem categoria

Políticas criadas pelos trabalhadores terão destaque no FSMercosul

Políticas criadas pelos trabalhadores terão destaque no FSMercosul

O painel da “Agenda dos Trabalhadores Pelo Desenvolvimento” vai mostrar todos os projetos desenvolvidos pelos trabalhadores aos governos nacionais da América Latina e do Brasil. A informação é do coordenador das atividades do painel, Geraldo Serathiuk. Os debates apresentações das experiências serão um dos destaques do Fórum Social do Mercosul, de 26 a 28 de abril na Reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Curitiba – Paraná.

A programação do da Agenda dos Trabalhadores pelo Desenvolvimento ganhou destaque no programa Fórum Social, levado ao ar das 20h às 21h de sexta-feira (21). Durante o programa, Serathiuk, divulgou a programação da atividade, programada para às 14h do primeiro dia do FSMercosul (sábado, 26 de abril). “O Painel vai mostrar e fazer uma avaliação de todas as políticas e proposta que foram feitas pelos trabalhadores, que levaram a retomada do crescimento econômico, a geração de emprego e a distribuição de renda”, disse.

Na avaliação de Seriathuk, quando os governos ouvem os dirigentes sindicais e suas entidades, é detectada uma retomada do processo de inclusão social. “Coisas que não aconteciam durante os governos anteriores, que reprimiam os movimentos sindicais e discriminavam estas lideranças”, informou.

A mesa de debates, segundo ele, vai muito além da apresentação destas eperiências. “Não é só revermos tudo aquilo que deu certo nos paises, nas suas políticas sociais, tributarias, geração de emprego e distribuição de renda, mas também aprofundarmos aquilo que nós temos que continuar lutando, por exemplo, a questão da reforma tributaria”, revela.

IMPOSTOS – Seriathiuk lembra que no Brasil os grandes proprietários de terras não pagam impostos. “As pessoas que tem grande postos, que tem aplicação financeira que são as pessoas mais ricas desse país, pagam carga tributaria extremamente baixa e os trabalhadores, as pessoas que consomem, acabam tendo que pagar uma carga tributaria extremamente alta”. Os trabalhadores, segundo Seriathuk, querem mudar o sistema tributário para que efetivamente quem pague sejam as pessoas que efetivamente são proprietárias, donas de aplicações financeiras e de propriedades nas áreas urbana e rural.

O coordenador do painel lembra de várias conquistas dos trabalhadores nas últimas décas, como a diminuição da jornada de trabalho, que também será enfocada durante o Fórum. “Vamos discutir ainda a aprovação de leis que proíbam a demissão motivada que faz com que temos uma rotatividade de mão de obra muito alta fazendo com que o trabalhador se estresse e se deprima com medo da demissão”.

“Também vamos abordar as conquistas. Por exemplo, a manutenção de empresas publicas nas mãos do povo como o caso da Sanepar que faz com que tenhamos uma tarifa extremamente baixa, coisa que nos paises onde foi privatizada a gestão da água são extremamente altas”, disse.

Seriathuk revelou que estão confirmadas a presença de representantes da Organização Regional Inter-Americana para falar sobre a plataforma dos trabalhadores para as Américas. Também foi confirmada a presença de representantes do Dieese, que trarão a agenda dos trabalhadores brasileiros composta por todas as centrais sindicais. “Essas entidades contribuem para as trocas de experiências, e para que continuemos nessa luta de fazer com que o continente, o país, continuem crescendo”, completou.

Fechar