por 15:51 Sem categoria

PMDB e PT estudam voto de louvor aos ministros do TSE

PMDB e PT estudam voto de louvor aos ministros do TSE
 
“A legislação modificada acaba com o artificialismo e a traição na política brasileira”, disse Pugliesi
 
Os deputados Waldyr Pugliesi e Elton Welter, líderes do PMDB e do PT na Assembléia, apresentam nos próximos dias requerimento concedendo voto de louvor aos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que instituíram a fidelidade partidária na legislação eleitoral brasileira. “Sou parlamentar, fui constituinte e sei que as leis são feitas no legislativo e não cabe ao judiciário legislar, mas acolho, aplaudo e defendo a posição que os ministros do TSE tiveram”, disse Pugliesi nesta quinta-feira (29).

Na terça-feira (27) o TSE decidiu, por seis votos a um, que o mandato pertence aos partidos e coligações e não aos eleitos. O novo entendimento criou um mal-estar entre os parlamentares acostumados ao troca-troca de legenda, principalmente pela sinalização dos partidos, de que deverão entrar com representação para garantir a posse dos suplentes eleitos em outubro do ano passado.

“Agora, os deputados já estão se movimentando naquilo que a gente poderia dizer: ‘olha, nós queremos ter o direito de trair’. A legislação modificada acaba com o artificialismo e a traição (na política)”, informou. De acordo com Pugliesi, os políticos sérios não podem se “amesquinhar”, ou ficar de joelhos diante da população com vergonha de dizer que são políticos.

“Mas como que estas coisas acontecem? Tem gente que entra na política para se arrumar e nós, muitas vezes, não colocamos o bisturi no tumor para jogar o pus para fora”, ressaltou. Pugliesi destacou o editorial desta quinta da Folha de SP, se colocando contra a decisão do TSE. “Sei do apego do jornal as questões legais, porque compete ao legislativo legislar e não ao Poder Judiciário. Mas tem deputados lá em Brasília que já querem ter o direito de continuar traindo”.

Democracia – O líder do PMDB afirmou que, como democrata, respeita todas as posições. “Mesmo que sejam tremendamente equivocadas. Me reservo ao direito de combatê-las, foi aquilo que fiz na minha vida”. A decisão do TSE acaba enfraquecendo aqueles que lutam para que o mandato seja do eleito, acredita.

Pugliesi aproveitou a tribuna para corrigir uma informação do seu discurso da quarta-feira (28). “Afirmei que 41 parlamentares tinham se bandeado para o PT. Não é isso que gostaria de ter dito, houve um equívoco da minha parte. Na realidade estes deputados passaram a fazer parte da base de sustentação do governo Lula”, encerrou.

Para o líder do PT na Assembléia, deputado Elton Welter, a decisão do Tribunal Superior Eleitoral resgata as prerrogativas partidárias. “Os partidos precisam ser utilizados como ferramentas políticas e não para interesse pessoal”, destacou.

Fechar