por 20:02 Sem categoria

Paraná tem ação afirmativa para negro no mercado de trabalho

Paraná tem ação afirmativa para negro no mercado de trabalho

As questões relativas ao mercado de trabalho e de inclusão vão permear os debates do seminário “Ações Afirmativas para Negros na Mídia, Educação e Mercado de Trabalho” nesta sexta-feira (6), às 19h, no Centro de Convenções de Curitiba, durante a Chamada Geral pela Integração da América Latina.

A socióloga Marcilene Lena Garcia de Souza – vice-presidente do Ipad Brasil (Instituto de Pesquisa da Afrodescendência) e pesquisadora sobre relações raciais – coordena os debates e vai relatar dados do Paraná que apresenta mais de 2,4 milhões de negros (pretos e pardos). É o estado com maior percentual de negros da região sul. A maioria deles, conforme pesquisas, sofre discriminação na busca de um posto formal de tranalho.

Apesar disso, Lena Garcia aponta que o Paraná é o único estado a ter uma ação afirmativa para negros no mercado de trabalho. A lei 14.274 – de 24 de dezembro de 2003 – garante reserva de 10% das vagas para afro-descendentes em todos os concursos públicos. O programa já atendeu milhares de famílias negras e é modelo no país.

“Essas ações, ao mesmo tempo em que pode assegurar aos negros maiores oportunidades, podem garantir uma renda melhor e ser, portanto, concebidas como medidas concretas na promoção e melhoramento da estrutura da sociedade no que diz respeito a idéia de igualdade como base da democracia e portanto, na interação e integração dos indivíduos como um direito. A promoção da igualdade entre os grupos raciais deve ser entendida fundamentalmente, também, como responsabilidade do Estado”, defende Lena Garcia

A socióloga destaca que pesquisas do IBGE, Ipea, Dieese, Instituto Ethos demonstram que apesar de que a maioria das empresas privadas “insistem no discurso de que contratam somente o funcionário ‘mais competente’ em geral, não é isso que acontece na prática”. “Ou seja, mulheres, negros e deficientes sofrem discriminação nas relações cotidianas do mercado de trabalho, mas, sobretudo nos processos de admissão, promoção, remuneração e demissão”, completa.

Em Curitiba e região metropolitana, de acordo com pesquisa recente do Ipardes, o salário dos negros chega a ser menos da metade do salário dos brancos. A diferença salarial aumenta entre aqueles que possuem mais escolaridade. “O estudo demonstrou que no mercado de trabalho ainda há diferenças salariais entre trabalhadores negros e brancos ocupados na mesma área de atividade”.

Os trabalhadores negros de Curitiba e região metropolitana possuem menos escolaridade, têm mais filhos e ganham menos que os brancos ainda que tenham o mesmo nível educacional, o mesmo grupamento de atividade ou a mesma posição na ocupação (empregados com e sem carteira assinada, conta própria e empregadores). Os dados são da pesquisa mensal do Ipardes referente ao mês de setembro de 2006. “As diferenças salariais entre os mesmos postos de trabalho ou as mesmas funções não são captadas pela pesquisa”.

Em todos os ramos de atividade examinados, pelo Ipardes, os brancos registraram rendimentos mais elevados do que os pretos e pardos. Os trabalhadores negros ganham em média 60,5% do salário do branco. A maior diferença salarial está no grupamento de atividades que compreende as áreas de educação, saúde, serviços sociais e administração pública, em que os pretos e pardos recebiam em média 47% do rendimento dos brancos.

O rendimento médio mensal dos trabalhadores por conta própria pretos/pardos (R$ 588,29) corresponde praticamente à metade do que ganham os brancos (R$1.151,00).

Box

Ipad Brasil coordena projetos de inclusão social para negros

O Ipad Brasil – Instituto de Pesquisa da Afrodescendência – coordena vários projetos de inclusão de negros na educação e mercado de trabalho. Entre eles está o Projeto Adebori que é uma Central do Universitário Negro que além de oferecer cursos de formação sobre relações raciais no Brasil estabelece parcerias com empresa que trabalham com a “diversidade” para incluir universitários negros em diversos programas de estágios remunerados.

Os interessados em ingressar na universidade contam com o Projeto Akeko Dudu, que através de uma parceria com o Curso Positivo, atende jovens negros vulneráveis social e economicamente com bolsas de estudo para melhor preparo para o vestibular da UFPR.

O projeto SóParaNegros é um banco de dados de currículos de pessoas negras de diversas formações que residem no Paraná. O Ipad encaminha os currículos para empresas que tem responsabilidade social e trabalham com a diversidade étnico-racial no quadro de funcionários e visam combater o racismo no mercado de trabalho do Paraná.

Serviço
Seminário: Ações Afirmativas para Negros na Mídia, Educação e Mercado de Trabalho.
Dia: 6 de julho (sexta-feira)
Horário: 19h
Local: Centro de Convenções de Curitiba
Endereço: rua Barão do Rio Branco, 370. Curitiba. PR

Tema I
Democratização dos Meios de Comunicação para o Combate ao Racismo e a Inclusão Social: O caso da TV da Gente. Expositor: José de Paula Neto (Netinho) – presidente da TV da Gente – cantor e apresentador de TV.

Tema II
Ações Afirmativas para negros na Educação e Mercado de Trabalho do Paraná. Expositora: Marcilene Lena Garcia de Souza – Ipad Brasil/IDB/doutoranda em Sociologia pela Unesp. Moderadora: Tânia A. Lopes – Ipad Brasil/mestranda em Educação pela UFPR.

Informações
Ipad Brasil – Instituto de Pesquisa da Afrodescendência
Rua José Loureiro, 464, conjunto 94, centro – Curitiba – PR
(41) 3018 0993 – www.ipadbrasil.com.br

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com