Escrito por 17:39 Economia

Paraná amplia pauta de produtos para exportação

Compartilhe

Paraná amplia pauta de produtos para exportação

O Paraná vem ampliando o volume de itens de produtos exportados. De janeiro a agosto de 2014 foram 2.845 contabilizados, de acordo com a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM). Em 2015, esse número subiu para 2.977 itens. O presidente do Ipardes, Julio Suzuki, disse que é natural que o comércio exterior diversifique os produtos negociados com outros países até por conta do crescimento de mercadorias não convencionais. “As pequenas e médias empresas vêm ampliando o número de itens”, afirmou. As informações são da Folha de Londrina.

E a pauta de exportações do Paraná é muito mais diversificada do que os produtos tradicionais como soja, carnes, automóveis, autopeças, madeira e papel. Esses continuam sendo os destaques: o complexo soja teve 36% de participação nas exportações totais do Estado de janeiro a agosto deste ano e o complexo carnes 17,1%. Porém, a lista é ampla e inclui itens não convencionais como cabelo, explosivos e detonadores, capacetes, bonecos de corda, ceroulas, relógios de ponto e de controle de acesso e cimentos para obturação dentária.

As vendas para o mercado externo incluem ainda produtos como rolhas de plástico, equipamentos para tênis de mesa, aparelhos de depilação, pedras preciosas, taxímetros e medidores de percurso, entre outros. Estas mercadorias não convencionais representaram 9,26% das exportações e geraram uma receita de US$ 949,8 milhões de janeiro a agosto de 2015. Em receita, houve um crescimento de 38,4% em relação ao mesmo período de 2014.

Suzuki acredita que o crescimento dos itens não convencionais está associado ao mercado internacional que tem demandado produtos variáveis em um contexto de globalização. “É natural que esses itens aumentem as exportações”, avaliou. Suzuki disse que os pequenos e médios empresários têm um espírito empreendedor grande e procuram a abertura de novos mercados no exterior. Além disso, ele destacou que os incentivos do governo federal com promoções de feiras e criação de cadastros para o pequeno exportador também têm incentivado as vendas ao mercado externo.

Os dados fazem parte de um levantamento realizado pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), com base em informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Suzuki frisou que grande parte destes produtos não convencionais é enviada ao exterior por contêiner, já que são volumes bem menores quando comparados a produtos tradicionais como soja e automóveis, por exemplo.

Estas mercadorias não convencionais têm destinos muito variados. O Paraná exporta fios de cabelo para Israel; cimentos para obturação dentária para países como Japão, Estados Unidos, Emirados Árabes, Alemanha e Canadá; estopins e rastilhos de segurança, cordeis detonantes e detonadores elétricos para Argentina, Peru, Angola, Estados Unidos, Paraguai e Cuba; bonecos para o Paraguai e Portugal; artigos e equipamentos para tênis de mesa para Paraguai e Angola e bolas infláveis para o Paraguai, Alemanha, Guiné e Japão.

Nos primeiros oito meses do ano, o Paraná registrou, por exemplo, um aumento de 36% em relógios de ponto, para US$ 32,6 mil e de 247% nas vendas de estopins e rastilhos de segurança, cordeis detonantes e detonadores elétricos, para US$ 10,27 milhões. Também tiveram alta (153,7%) as exportações de assentos e tampas plásticos de sanitários, para US$ 9,7 mil, e as vendas de artigos e equipamentos para tênis de mesa (139,2%), para US$ 1,4 mil. As vendas de cimentos para obturação dentária, produto de alto valor agregado, aumentaram em 36%, para US$ 1,4 milhão, nos primeiros oito meses do ano.

Close