por 14:22 Itaipu Binacional, Paraná

Palestra de Silva e Luna é acompanhada por mais de 60 lideranças políticas e empresariais

A nova gestão da margem brasileira de Itaipu, com foco na austeridade e transparência, e que permitiu investimentos de R$ 1,4 bilhão da binacional em obras de infraestrutura na região Oeste do Estado, marcou a participação do diretor-geral brasileiro da binacional, general Joaquim Silva e Luna, na conferência Encontros Pró-Paraná. O encontro virtual, na tarde de quinta-feira (17), fechou o ciclo de palestras de 2020 e foi acompanhado por mais de 60 lideranças políticas e empresariais do Estado.

Fotos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

A série é promovida pelo Movimento Pró-Paraná, uma iniciativa sem fins lucrativos que tem o objetivo de mobilizar a sociedade para defender causas em favor do Estado. Nas últimas duas décadas, o grupo participou de todas as grandes discussões envolvendo o desenvolvimento do Paraná, incluindo o novo modelo de pedágio e a construção da segunda ponte sobre o Rio Paraná, que está em obras, com recursos de Itaipu. A

coordenação da conferência foi do presidente do Movimento Pró-Paraná, Marcos Domakoski, que chamou o ex-diretor geral brasileiro de Itaipu Luiz Fernando Vianna para apresentar o palestrante. Dentre as autoridades estaduais presentes virtualmente estavam o vice-governador do Paraná, Darci Piana; os ex-governadores Orlando Pessuti e Mário Pereira; o presidente da seção paranaense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), Cássio Lisandro Telles; o presidente da Copel, Daniel Slaviero; o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli; o presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento, Danilo Vendruscolo – entre outros.  

Fotos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

A mudança de filosofia empresarial, com base nas diretrizes do governo federal, permitiu que recursos fossem realocados para obras estruturantes, como a construção da nova ponte internacional entre Brasil e Paraguai, a ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), a duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas, e a ampliação da pista de pousos e decolagens do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu – entre outros.

 De acordo com Silva e Luna, o planejamento é a alma da organização.

“Planejar e trabalhar consciente de que empregar recursos públicos é uma arte que exige transparência, responsabilidade, metas, prazos, acompanhamento e entrega”, salientou.

Fechar