por 15:33 Sem categoria

O Brasil para o Povo brasileiro

O Brasil para o Povo brasileiro

(*) Hasiel Pereira

O Líder do Quilombo dos Palmares, em 1695, reuniu mais de 2000 palmarinos (nativos de palmares), e invadiu povoados de Pernambuco em busca de armas e alimentos. Antônio Soares, um dos líderes das tropas palmarinas, foi capturado e em troca de sua liberdade entregou ao bandeirante André Furtado de Mendonça, o esconderijo de Zumbi

Zumbi foi capturado e morto em 20 de novembro de 1695. É uma data emblemática para nós brasileiros que ainda estamos neste processo de construção da nossa Nação. São histórias de resistência como esta e tantas outras como a Guerra de Canudos, Contestado, Coluna Prestes e as do regime militar dos anos 60 e 70, que ao longo do século mobilizaram grupos e partidos invariavelmente formados por minorias de ideologia de esquerda que lutavam por causas nacionalistas.

Lembro este episódio para retratar um pouco da nossa biografia. Pois foi no dia 21 de novembro de 1971, por volta das 16 horas, no Largo do Paissandu, no ponto de ônibus do bairro da Freguesia do Ó, em São Paulo, quando eu, Hasiel Pereira e a Dra. Clair da Flora Martins fomos presos pelo Delegado Sérgio Paranhos Fleury e sua equipe. Fomos conduzidos algemados para o DEOPS da capital paulista.

A acusação que recaia sobre nós era a de que militávamos no Partido de Ação Popular, partido conhecido como AP que operava na clandestinidade combatendo a ditadura militar naqueles anos de chumbo. Por isso, fomos seqüestrados, sem direito a defesa, sem se comunicar com a família ou com companheiros, e durante 32 dias fomos barbaramente torturados.

O sonho da nossa geração era a de reconstruir um país com amplas liberdades democráticas, com anistia para os perseguidos e presos políticos, com o fim da censura e com o voto livre para elegermos nossos dirigentes municipais, estaduais e nacionais. Enfim com um Brasil em pleno Estado de Direito. Conquista que hoje desfrutamos. Viva, portanto, a democracia. Ela é o ponto de partida para qualquer projeto de libertação de um povo, no caso, o valoroso povo brasileiro.

O Brasil vem avançando, aos trancos e barrancos, nesses 30 anos pós – anistia de 79 e 26 anos do movimento das Diretas Já. Presidentes e Governadores foram eleitos pelo voto popular. Um descambou para a corrupção, sendo cassado; outro, entregou de mão beijada as riquezas brasileiras para as grandes corporações nacionais e internacionais. E ainda  por cima endividou profundamente o nosso Brasil, tirando a dívida pública interna de 62 bilhões em 500 anos de nação para 1 trilhão. Esta é maior obra de FHC e o  PSDB na presidência do Brasil, juntamente com a doação do patrimônio público, a exemplo da doação privatização da Vale do Rio Doce!

Para ficar em apenas dois exemplos. Em âmbito nacional foi doado a Vale do Rio Doce pelo governo de Fernando Henrique Cardoso. Na esfera estadual foram entregues de graça para a iniciativa privada o Banestado e as nossas rodovias paranaenses pelo pior governador deste estado, o senhor Jaime Lerner.

Em contrapartida a democracia representativa também experimenta gestões extraordinárias marcada por avanços nas áreas sociais e políticas, como se verifica nos governos de esquerda de Roberto Requião e de Lula. Este, de Lula, ainda escravo da agiotagem nacional e internacional, com os banqueiros deitando e rolando sobre a economia brasileira.

 É neste contexto que surge das entranhas do PMDB velho de guerra, incentivado por Presidentes de 15 diretórios regionais, o lançamento da pré-candidatura do governador Roberto Requião à presidência da República em 2010. E outra vez a data é muito simbólica para nós: 21 novembro de 2009.

Brasil Urgente, Requião Presidente!,Como dizia o cancioneiro Geraldo Vandré: "quem sabe faz a hora não espera acontecer…". Aliás, tal projeto  Requião Presidente – já integra a pauta da política nacional. Projeto consistente que vem sendo idealizado por excelentes engenheiros políticos desde o remoto ano de 1978 quando na rua Vicente Machado, sob à benção de Dona Lucy, nascia um movimento político apoiado por Maurício, Eduardo, Walace e os mais diversos companheiros dos movimentos sociais, iniciando  se nesta caminhada as vitórias e mais vitórias que se somam  na biografia de Roberto Requião.

Com José Richa,  governador, Requião se elege Deputado Estadual, como resultado de uma brilhante campanha envolvendo intransigente apoio dos movimentos populares. Para em seguida, através destas mesmas forças sociais, ser o primeiro prefeito de Curitiba eleito através de eleições diretas pós  ditadura militar, em 1985.Sempre contando com o engajamento de amigos e lideranças como José Maria Correa, Ivan Ribas, Paulo Furiatti, Acir Mezzadri, Clair da Flora Martins, Marlene Zanin, Maurício Fruet, Ricardo Rodrigues, Waldir D’Angelis Claudio Fajardo, Maristela Requião, Mariza Vilela, Romeu Bertol, Stênio Jacob, Hudson Calefe, Nizan Pereira e este escriba, Hasiel Pereira, entre tantos outros valorosos companheiros e companheiras.

Militância política que – mais do que nunca – unida com o povo paranaense continua perfilada nas trincheiras requianistas e nas vitoriosas campanhas que se sucederam para o Senado da República e nos três formidáveis mandatos como governador deste Estado.

Agora neste momento em que abre  se a perspectiva de termos Roberto Requião candidato à Presidência da República faz-se urgente uma mobilização dos paranaenses para obtermos mais uma vitória na convenção nacional do PMDB e na seqüência consolidar a caminhada rumo à Presidência da República – BRASIL URGENTE.

Sobre uma plataforma viável, sobre um projeto nacional de Governo impõe e unir empresários e trabalhadores, partidos que apostam em avanços sociais e políticos comprometidos com a ética e com um amplo programa de governo voltado para construção de um Brasil Nação.

Temos que contar com a força de intelectuais, artistas,  negros, índios, brancos, empresários e políticos brasileiros para consolidarmos mais uma batalha. Precisamos da articulação de um ex-governador Jaime Canet ajudando com sua experiência e competência a arregimentar as forças vivas deste Estado e deste Brasil. Precisamos de estrategistas como Mangabeira Unger e Marcos Arruda à frente de um amplo programa de Governo para nosso país. Precisamos e contaremos com a presença dos movimentos populares do Norte, Nordeste, Centro, Sudeste e Sul engajados nesta bandeira: Requião Presidente.

"Vai passar pela avenida um samba popular, cada paralelepípedo da velha cidade vai se arrepiar ao lembrar que por aqui passaram tantos carnavais…", como bem diz a canção de Chico Buarque, temos certeza que este nosso povo, todos nós, vamos nos apoderar da nossa própria história.

A população, neste momento, quer alternar o poder central e  quer que guinada seja ainda mais para esquerda e convoca a  coragem e a ousadia para este próximo desafio: que os programas de governo transformados em políticas sociais. Quer que o jogo seja duro no combate permanente e sistemático contra a corrupção e contra a ganância dos banqueiros.

O Brasil quer um mercado interno forte e a preferência de governar para aqueles que mais necessitam do braço solidário do poder público: a população mais pobre. O país quer acabar com esta estupidez da destruição contínua da nossa riqueza natural. A Nação quer o Pré- Sal  como patrimônio inalienável do povo brasileiro.

Estas alternativas se alinham em Roberto Requião, onde tais qualidades são inerentes à sua pessoa, conforme a própria história está ai para testemunhar.

Portanto, com o projeto Requião Presidente iremos construir um extraordinário país. Viabilizado esta candidatura na convenção do PMDB, ganharemos as ruas apresentando o projeto Brasil Nação e o debate ganhará a mente o coração dos nossos irmãos brasileiros.

"Nos anos de chumbo da Ditadura Militar o PMDB esteve nas ruas lutando fundamentalmente para a derrota daquele regime opressor. Hoje somos o maior partido do Brasil, todos os diretórios estaduais do PMDB QUEREM CANDIDATURA PRÓPRIA, e é bom que todos saibam, temos uma pré-candidatura à presidência da República sim". Palavras do presidente estadual e líder do PMDB na Assembléia Legislativa, deputado Waldyr Pugliesi, ao comentar o Encontro Nacional de Lideranças do PMDB no último sábado (21) em Curitiba.

"E esta pré-candidatura é a do governador do Paraná, Roberto Requião". Temos certeza que no próximo ano quando da data em que estaremos comemorando o Dia de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro, o país estará vibrando esperançoso com a vitória de Roberto Requião Presidente da República do Brasil.

E a todos nós que demos um tanto do nosso suor, do nosso sangue, da nossa vida na luta pela redemocratização de nosso país, olharemos para o futuro e diremos que valeu, valeu a pena lutar!

Viva a Democracia! Viva o Povo Brasileiro! Brasil Urgente  Requião Presidente!

(*) Hasiel Pereira é coordenador Político do PMDB

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com