por 20:27 Sem categoria

MST denuncia violência contra sem terra ao Ministério Público

MST denuncia violência contra sem terra ao Ministério Público

Uma comissão do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), se reúne nesta quinta-feira (5), com o Ministério Público do Paraná, para denunciar a conduta de policias militares que atuam como segurança á
fazendeiros, em grupos de milícias armada, na região Norte Pioneiro do
Estado.

O MST e a Comissão Pastoral da Terra (CPT), já encaminharam denuncia a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Paraná e a Ouvidoria Agrária Nacional, que cobrou providências da Polícia Militar (PM) e Civil, na investigação das agressões.

Um grupo de policiais vem amedrontando cerca de 148 famílias sem terra do MST, acampadas há mais de um ano ás margens de uma estrada rural, em frente a fazenda Itapema no município de Jacarezinho.

No dia 21 de junho os acampados denunciaram a presença de policiais que rondavam o local, intimidando os trabalhadores com disparos de armas de fogo durante á noite, e entre os dias 2 e 3, deste mês, reafirmaram as denúncias. O Tenente Alceu Abilio Costa que preside o inquérito, abriu processo para investigar a participação dos policiais no caso, mas até agora os mesmos continuam trabalhando normalmente.

Fatos – No dia 23 de junho, os sem terra flagraram o soldado da Polícia Militar, Maurício Andrade, filmando o acampamento. Segundo as famílias, cerca de 13 policiais são parte de um grupo que faz a segurança armada de
fazendas da região contra as ocupações do MST.

A fazenda Itapema foi declarada improdutiva, pelo Incra e está em processo de desapropriação. O que não mudou a situação das famílias, que ainda se encontram em condições degradantes, sem poder plantar, e nem ter para onde ir.

Providências – O MST solicita ao Ministério Público, que investigue a existência de milícias armadas na região Norte Pioneiro do Paraná, que a PM coíba a prática de violência contra as famílias acampadas, e puna os policias que atuam em milícias armada. E também cobra do Incra a desapropriação da fazenda Itapema, para o assentamento das famílias acampadas, nas beira da estrada.

Movimento Dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST
Informações á imprensa
(41) 3324 7000 – Solange

Fechar