por 14:00 Internacional

Montanhista testa positivo para COVID-19 no acampamento-base do Everest

Um montanhista norueguês se tornou a primeira pessoa a testar positivo para o coronavírus no acampamento-base do Everest, no Nepal, e foi transferido em helicóptero para Catmandu, onde foi hospitalizado.

O montanhista Erlend Ness contou nesta sexta-feira (23), em uma mensagem à agência de notícias Associated Press, que testou positivo para o coronavírus no dia 15 de abril. No entanto, o escalador assinalou que realizou outro teste ontem (22), que deu negativo, e que agora ele está junto de um família no Nepal, após receber alta do hospital em Catmandu.

Para minha família, amigos e seguidores, estou deixando hoje [quinta-feira, 22 de abril] o hospital. Me sinto bem e estou ansioso para ir para a casa de Dorjis e Tashis agora. Muito obrigado a todos pelo apoio.

Em entrevista à emissora norueguesa NRK na última quarta-feira (21), Ness afirmou que sentiu perda de energia após fazer uma escalada de aclimatação no monte Kala Pattar, de 5.600 metros de altitude.

“Fiquei três dias deitado em uma barraca no acampamento-base com suprimento de oxigênio. O coronavírus também desencadeou uma diarreia. […] Agora estou no hospital com diagnóstico de edema pulmonar”, contou o montanhista natural da cidade de Trondheim à NRK.

Em entrevista à agência AP, o guia austríaco Lukas Furtenbach, que lidera uma expedição de montanhismo com 18 pessoas, alertou que se não forem tomadas medidas de segurança adicionais, o vírus poderia se disseminar entre centenas de pessoas – montanhistas, guias e assistentes – que, neste momento, estão acampados na base da montanha mais alta do mundo.

“Precisamos agora, de forma urgente, testar massivamente no acampamento-base, com todos sendo testados e com cada equipe mantendo o isolamento, sem contatos entre eles […] Isso precisa ser feito agora, senão será tarde de mais”, afirmou o guia de montanha.

Além disso, Furtenbach, cujo grupo planeja escalar o Everest e o Lhotse – a quarta montanha mais alta do mundo -, disse que poderia haver mais casos na montanha, pois o norueguês manteve contato com diversas pessoas por semanas.

Qualquer surto no Everest pode encerrar prematuramente a temporada de escalada na montanha, pouco antes de um janela de tempo favorável, que está prevista para maio, disse o guia à AP. 

Por outro lado, a porta-voz do departamento de turismo do Nepal, Mira Acharya, negou em comunicado a existência de qualquer caso ativo nas montanhas neste momento.

“Uma pessoa foi evacuada em 15 de abril, mas nós fomos informados de que ele está com pneumonia e foi colocado em isolamento. Isso é tudo o que sabemos”, diz a nota, citada pela AP.

com informações da Agência Sputink

Fechar