por 09:30 Sem categoria

Milton Ivan Heller lança livro sobre o Integralismo

Milton Ivan Heller lança livro sobre o Integralismo

O jornalista e escritor Milton Ivan Heller lançou, no dia 1º de setembro, no Palacete dos Leões / Espaço Cultural do BRDE, mais um livro sobre a História paranaense, “Conspiração nazista nos céus da América”. O livro relata desde a imigração alemã aos três Estados do Sul do Brasil até a história do Integralismo no Paraná.

Milton Ivan pesquisou quase três anos até a redação final do livro. Uma das descobertas do jornalista é um parecer do médico sanitarista Jaime Reis, nome de rua em Curitiba, que desaconselhava o governo do Estado a estabelecer imigrantes vindos da Europa, entre os quais os alemães, em colônias próximas umas das outras. Isso traria como conseqüência a propagação de doenças que ocorriam no continente europeu e ainda não existiam em território brasileiro, segundo o sanitarista.

Há muitos anos Milton Ivan Heller, 77 anos, curitibano do Cajuru, 50 anos de imprensa, vem pesquisando a história política e econômica do Paraná e revelando episódios quase desconhecidos da imensa maioria da população. Bom repórter, a partir de 1959, quando entrou no extinto “Correio do Paraná”, passou por todos os veículos de divulgação de Curitiba, menos a “Gazeta do Povo”.

Em setembro de 2007, lançou na Assembleia Legislativa “De Catanduvas ao Oiapoque – O martírio dos rebeldes sem causa”, livro que conta a história da revolta tenentista dos anos 20 e da Coluna Prestes no Paraná, além da situação dos militares, que, capturados em Catanduvas (Oeste do Paraná), foram confinados numa prisão no Amapá em 1924.

A obra traz abundância de fotos da época, inclusive do posteriormente marechal Cândido Rondon, enviado ao Paraná para combater os rebeldes da coluna.Uma das primeiras obras, coordenada e publicada pelo jornalista, foi “Resistência democrática / A repressão no Paraná”, lançada em abril de 1988.

É uma grande pesquisa sobre a repressão política no Paraná entre 1964 e 1984, com análise dos processos de que foram vítimas centenas de pessoas, inclusive o próprio pesquisador, acusadas genericamente de atividades subversivas e que nestas duas décadas sofreram perseguições, prisões e mesmo torturas, algumas sendo obrigadas a se exilar no Exterior.“A minha preocupação é resgatar os episódios da história do Paraná que estavam esquecidos e não constam nos registros oficiais do Estado”, diz Milton Ivan. 

Fechar