por 18:10 Chico Brasileiro, Foz do Iguaçu, Turismo

Menor tarifa do pedágio é muito importante para turismo de Foz do Iguaçu

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) defendeu nesta sexta-feira, 5, a busca da “menor tarifa possível” que será praticada nas rodovias federais e estaduais que cruzam o Paraná com destino a Foz do Iguaçu. Neste sábado, 6, a partir das 9h30, os deputados estaduais realizam a segunda audiência pública sobre o novo modelo de pedágio proposto pelo governo federal no Paraná.

“No momento, temos que participar ouvir as propostas e buscar baixar (tarifa) o máximo possível e inserir os investimentos porque precisamos, por exemplo, da duplicação completa da BR-277 no mínimo até Cascavel , precisamos que as obras de mobilidade urbana entre os municípios cortados pela rodovia sejam realizadas “, disse Brasileiro.

O encontro será realizado na Acifi e vai reunir, deputados, prefeitos, vereadores, moradores e lideranças do extremo oeste. Os deputados defendem um novo modelo pela menor tarifa e o governo federal propõe um sistema híbrido que  leva em conta a tarifa e o pagamento de outorga pela empresa que vencer a licitação.

“Precisamos de obras e preços justos e tenho certeza que essa audiência vai contribuir para esse debate, para que apresente essas propostas a quem está conduzindo todo esse processo”, completa.

Primeira fase – A principal ligação rodoviária de Foz do Iguaçu é pela BR-277 é de 140 quilômetros, mas a partir daí a cidade se ligará a outras médias e grandes cidades também por outras rodovias que cruzam o estado. “Esse é o momento de debatermos depois que tudo estiver feito, o contrato assinado, aí não tem mais jeito”, pondera o prefeito.

O turismo rodoviário é apontado por especialistas como principal meio para retomar a atividade econômica de destinos turísticos, como o de Foz do Iguaçu.  Em círculos vai se procurar os moradores que moram a 200, 400 e 600 quilômetros do destino, no caso grandes centros como Cascavel, Toledo, Guarapuava, Ponta Grossa, Maringá, Curitiba e Londrina, entre outras.

O pedágio pode encarecer o destino se as tarifas aumentarem consideravelmente. Entre Curitiba e Foz são nove praças de pedágio na BR-277 nos 533 quilômetros que separam as duas cidades. Um carro de passeio paga R$ 249,6 em pedágios na ida e volta. Para Guarapuava, são cinco praças, Ponta Grossa (sete praças), Maringá e Londrina (sete e oito).

Para planejar e retomar as atividades no setor tão logo seja possível, a principal meta é possibilitar a recuperação a partir do turismo regional em três fases. Na fase um foram definidos 11 mercados emissores: Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Umuarama, Campo Mourão, Cascavel, Toledo, Foz do Iguaçu, Pato Branco e Guarapuava.

Fechar