por 11:38 Sem categoria

Ligação estabelecida por Jaime Lerner entre Dantas e Sanepar não existe mais

Ligação estabelecida por Jaime Lerner entre Dantas e Sanepar não existe mais

A Sanepar divulgou nota oficial, nesta sexta-feira (18) informando que nunca fez qualquer tipo de investimento com o grupo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, que se transformou em integrante do consórcio privado que virou sócio da empresa em 1998, quando as ações da companhia foram vendidas pelo ex-governador Jaime Lerner.

Segundo a Sanepar, durante os sete anos em que participou da sociedade, o Opportunity recebeu dividendos sobre os lucros obtidos pela empresa, que teriam sido aplicados de forma ilegal em offshores, como está sendo apurado pela Policia Federal na Operação Satiagraha. A companhia não poderia, assim, se responsabilizar pelo destino dado à remuneração de acionistas privados.

Na nota, a Sanepar informa ainda que está tomando as medidas judiciais cabíveis para preservar a imagem da companhia e de seus funcionários, bem como para cobertura de eventuais prejuízos que venha a sofrer em relação às ações negociadas em Bolsa.

Segue abaixo a íntegra da nota:

A propósito da manchete publicada na edição desta sexta-feira (18) pelo jornal “Gazeta do Povo”, em sua primeira página, em letras garrafais, que induz o leitor a relacionar a Sanepar com as operações realizadas pelo grupo do banqueiro Daniel Dantas, para que seja restabelecida a verdade dos fatos, esclarecemos que:

1) A Sanepar, na atual gestão, desde 2.003, não fez rigorosamente qualquer tipo de investimento no Opportunity Fund, do banqueiro Daniel Dantas, ou em qualquer outra instituição similar. Todas as aplicações financeiras da companhia são feitas exclusivamente na Caixa Econômica Federal;

2) No dia 8 de junho de 1998, o então governador Jaime Lerner vendeu 39,7% das ações à Dominó Holdings, que passou a ser o “sócio estratégico” e acionista minoritário. O Opportunity era um dos quatro sócios do consórcio privado, administrando uma carteira de acionistas do City Bank;

3) Em 4 de setembro 1998, o governo do Estado e a Dominó assinaram um acordo de acionistas (também chamado de pacto de acionistas). O secretário da Fazenda de Jaime Lerner, Giovani Gionédis, assinou o acordo, em nome do governo. Nos termos da Constituição do Estado, o secretário não tinha poder legal para assinar o documento. A celebração de pactos desta natureza é privativa do governador do Estado. Pelo acordo, o governo abriu mão de prerrogativas inalienáveis do acionista majoritário. Na prática, o acionista minoritário assumiu o comando da empresa, tendo direito a indicar as três diretorias mais importantes (Superintendência, Operações e Financeira);

4) Em maio de 2.005, depois do envolvimento de Daniel Dantas com a CPI dos Correios do Congresso, os próprios acionistas desistiram de ser representados pelo banco, o que levou o Opportunity a sair do consórcio Dominó, sendo substituído pela Daleth Participações. O Opportunity Equity Partners, Ltd. foi destituído pela International Equity Investments, que nomeou para representá-lo o Citigroup Venture Capital International Brazil;

5) Durante os sete anos em que participou da sociedade com a Sanepar, o Opportunity recebeu dividendos sobre os lucros obtidos pela companhia, que teriam sido aplicados de forma ilegal em offshores, como está sendo apurado pela Policia Federal na Operação Satiagraha. A Sanepar não pode se responsabilizar pelo destino dado à remuneração de acionistas privados;

6) Os fatos judiciais envolvendo, mais uma vez, os sócios privados da Sanepar comprovam a postura correta do governador Roberto Requião na luta pela retomada do controle público da empresa, iniciada em 13 de fevereiro de 2003, com vitórias, em âmbito judicial, nos níveis estadual e federal. Mais do que isso: tornam nítida a importância da recém aprovada Proposta de Emenda Constitucional pela Assembléia Legislativa, que garante a água como um bem público, jamais um objeto de comércio e de lucro;

7) Hoje, o sócio privado tem 34,7% das ações da Sanepar e o grupo Dominó é formado majoritariamente pela Copel, com 45%; Andrade Gutierrez, 27,5% e Daleth Participações, mais 27,5%. A Daleth congrega várias empresas e acionistas minoritários. O governo do Paraná reafirma seu compromisso de manter o saneamento básico sob controle da população do Paraná;

8) A Sanepar informa ainda que está tomando as medidas judiciais cabíveis para preservar a imagem da companhia e de seus funcionários, bem como para cobertura de eventuais prejuízos que venha a sofrer em relação às ações negociadas em Bolsa.

Fechar
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com