0 Shares 404 Views

Leilão de 3 áreas portuárias rende cerca de R$ 148,5 milhões ao governo

13 de agosto de 2019
404 Views

 

O Ministério da Infraestrutura e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) arrecadaram R$ 148,5 milhões em outorga no leilão de 3 áreas portuárias –duas no Porto de Santos (SP) e uma no Porto de Paranaguá (PR)– nesta 3ª feira (13.ago.2019). O prazo de concessão será de 25 anos. Eis o resultado:

o terminal STS13A (Porto de Santos), de 38.398 m², tem previsão de investimentos é de R$ 110,7 milhões. Foi arrendado para ABA Infraestrutura e Logística S.A, com lance de R$ 35 milhões;
o terminal STS20 (Porto de Santos), de 29.278 m², tem estimativa de investimentos da área é de R$ 219,3 milhões. Foi arrendado para Consórcio Hidrovias do Brasil, com o lance de R$ 112,5 milhões;
o terminal PAR01 (Porto de Paranaguá), de 27.530 m², é destinado à movimentação de carga geral (celulose) e tem investimentos previstos de R$ 87 milhões. Foi arrendado para KLABIN S.A, com o lance de R$ 1 milhão.
Os empreendimentos fazem parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do governo federal.

A sessão pública foi realizada às 10h desta 3ª feira (13.ago), na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), com a presença do ministro Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura).

No Twitter da pasta, foi publicado 1 vídeo de Tarcísio comemorando o leilão. “Mais uma rodada que vai ser mais uma vez bem sucedida, vamos chegar hoje a 26 ativos concedidos no ano de 2019”, disse.

Em coletiva de imprensa, o ministro disse que o leilão superou as expectativas porque o lance mínimo era de R$ 1 e o governo federal conseguiu arrecadar milhões. “Esses milhões de hoje vão gerar R$ 420 milhões de investimento nos portos, vão diminuir custos e, o que é mais importante, vão gerar empregos”

Tarcísio lembrou que, ano passado, 2 desses terminais foram a leilão–STS20 e PAR01–, mas não houve lances. “Essa é uma amostra de que estamos indo na direção certa, que o que estamos fazendo está trazendo confiança para o mercado”, disse.

Na ocasião, o ministro também falou sobre a privatização do Porto de Santos. De acordo com ele, isso ainda está sendo estudado. “Nós temos a intenção de chegar no final do nosso período com o capital de Santos aberto, mas em que medida isso ficará não sabemos, ainda vai ser decidido”. Com informações do Poder 360.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.