por 13:15 Sem categoria

JORNAL GAZETA DO POVO DETONA ACORDO ENTRE BETO RICHA E BERTOLDI

JORNAL GAZETA DO POVO DETONA ACORDO ENTRE BETO RICHA E BERTOLDI

O colunista da Gazeta do Povo, Rogério Galindo – um dos editores do jornal -, levantou mais suspeição sobre o acordo do PSDB e do DEM para as eleições de 5 e 26 de outubro. Na sua coluna Caixa Zero, Galindo escreve o seguinte sobre o “Apoio do herdeiro”: “É simbólico o aperto de mão entre Osmar Bertoldi e Beto Richa ontem. Por um lado, os dois representam partidos políticos. Bertoldi é do Democratas, que acaba de anunciar apoio ao PSDB de Richa. Por outro, os dois representam lados diferentes de um dos negócios mais vultosos de qualquer grande cidade: o transporte coletivo”.

 O negócio começa e cheirar esquisito, né não?, mas Galindo explica logo a seguir: “Bertoldi é herdeiro de uma das principais empresas de ônibus de Curitiba. Foi vereador, é deputado estadual e, em 2004, foi candidato a prefeito de Curitiba, contra Beto Richa. Na época, Richa, que assumiu a prefeitura interinamente, havia cancelado um aumento de tarifa, concedido por Cassio Taniguchi. Desde lá, alguma coisa mudou. Bertoldi desistiu de combater Richa nas urnas. Agora, vai apoiá-lo. Será demais supor que as outras empresas de transporte também estão apoiando o prefeito?”, dispara o jornalista.

 A Frente Ampla pelos Avanços Sociais já denunciou aquilo que classificou a “farra das coligações” de Beto Richa na sua tentativa de manter o comanda da capital paranaense. “O Ministério Público cobra há anos que a prefeitura de Curitiba faça uma licitação para escolher as empresas de transporte coletivo de Curitiba. As que estão aí executam o serviço, estimado em R$ 2 milhões ao dia, há décadas, sem ter nunca passado por concorrência pública”, questiona Galindo.

 Leia a seguir a coluna na íntegra.

“É simbólico o aperto de mão entre Osmar Bertoldi e Beto Richa ontem. Por um lado, os dois representam partidos políticos. Bertoldi é do Democratas, que acaba de anunciar apoio ao PSDB de Richa. Por outro, os dois representam lados diferentes de um dos negócios mais vultosos de qualquer grande cidade: o transporte coletivo.

Bertoldi é herdeiro de uma das principais empresas de ônibus de Curitiba. Foi vereador, é deputado estadual e, em 2004, foi candidato a prefeito de Curitiba, contra Beto Richa. Na época, Richa, que assumiu a prefeitura interinamente, havia cancelado um aumento de tarifa, concedido por Cassio Taniguchi. Desde lá, alguma coisa mudou. Bertoldi desistiu de combater Richa nas urnas. Agora, vai apoiá-lo. Será demais supor que as outras empresas de transporte também estão apoiando o prefeito?

Pensando bem, haveria motivos para isso. O Ministério Público cobra há anos que a prefeitura de Curitiba faça uma licitação para escolher as empresas de transporte coletivo de Curitiba. As que estão aí executam o serviço, estimado em R$ 2 milhões ao dia, há décadas, sem ter nunca passado por concorrência pública.

Durante os quatro anos de prefeitura, Richa não fez a tal licitação. E agora, com o apoio de Bertoldi, será que a concorrência sai antes da eleição?”

Fechar