0 Shares 268 Views

João Arruda vai propor uma comissão especial para tratar da desoneração do transporte público do Brasil

12 de março de 2013
268 Views

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) vai defender esta semana, junto à Mesa Diretora da Câmara Federal, a instalação de uma comissão especial para tratar da desoneração do transporte público no Brasil. Arruda informa, pelo Facebook, que já discutiu o tema com o colega de Santa Catarina, Mauro Mariani (PMDB), que demonstrou interesse em ajudar na busca de uma solução.

“O presidente (da Câmara, Henrique Eduardo Alves – PMDB-RN) demonstrou interesse e essa semana vou formalizar esse pedido junto a Mesa da Câmara e pedir apoio ao líder do PMDB (Eduardo Cunha – RJ) e colegas de bancada”, destacou o deputado.

Na avaliação de João Arruda, o governador do Paraná errou ao deixar de dar continuidade a uma política de subsídio ao transporte público de Curitiba, “que ele mesmo criou, simplesmente porque o prefeito não é mais seu cabo eleitoral”, disse o deputado, em relação à atitude de Beto Richa (PSDB), que cortou o benefício por que não conseguiu reeleger seu aliado, o ex-prefeito Luciano Ducci (PSB).

Transparência
No entanto, João Arruda cobra do atual prefeito, Gustavo Fruet (PDT), mais transparência na administração municipal. “Por outro lado, seria importante que o prefeito abrisse logo a caixa preta do transporte coletivo”, frisou.

E completou: “Queremos transparência nas planilhas da URBS (Urbanização de Curitiba, responsável pela gestão do transporte coletivo na capital)”.

Otimismo
João Arruda acredita que a presidente Dilma Rousseff (PT) verá com bons olhos a iniciativa para desonerar o transporte público, que deverá ser encampada por uma comissão especial da Câmara.

“A presidente Dilma que desonerou produtos da cesta básica e baixou o preço da energia tem o desafio de baixar o preço da passagem de ônibus”, disse.

“O desafio é grande e sei que não será fácil”, concluiu o deputado.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.