0 Shares 351 Views

João Arruda destaca campanha contra crimes sexuais na internet

15 de maio de 2018
351 Views

O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) destacou o lançamento, nesta terça-feira (15), da campanha “Sextorsão: não é sua culpa”, que busca conscientizar a população sobre os crimes sexuais praticados na internet. A iniciativa, da SaferNet Brasil, conta com apoio do Facebook e Twitter e busca alertar jovens, pais e educadores sobre este tipo de abuso.

“Toda ação para coibir este tipo de crime é muito bem vinda. As vítimas, em sua maioria mulheres e jovens, precisam muito do apoio da sociedade ao enfrentar este tipo de situação”, diz João Arruda. O deputado é autor do projeto de lei que prevê pena de dois a quatro anos de reclusão e aplicação de multa aos autores destes delitos.

João Arruda lembra que nos Estados Unidos, a pornografia de vingança já é considerada crime, desde o início deste ano. “Não podemos aceitar mais que pessoas sofram por irresponsabilidade ou maldade de ex-companheiros”, ressaltou o deputado.

Formada pelos termos “sexo” e “extorsão”, o termo “sextorsão” define o crime de chantagem sob ameaça de divulgar fotos íntimas. A data de lançamento da campanha no Brasil coincide com a semana do Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – 18 de maio.

Uma das características da campanha é o esforço em livrar as vítimas da culpa que normalmente as cerca, como explica o diretor de educação da SaferNet Brasil, Rodrigo Nejm. “As vítimas têm muito medo de contar o que estão sofrendo por acharem que serão culpabilizadas e julgadas, principalmente pelos adultos”, disse.

Nem sempre os criminosos possuem as fotos íntimas, mesmo que afirmem o contrário. Em alguns casos, obrigam as vítimas a ir em encontros ou enviar “nudes”, e muitas das vítimas são menores de idade.

e acordo com dados da SaferNet, apenas cinco vítimas de sextorsão procuraram a organização em 2007. No ano passado, o número chegou a 289 pessoas, sendo que meninas e mulheres representam 69% dos casos.

Em entrevista ao HuffPost Brasil, a SaferNet esclarece que a ameaça em si já é uma violência. “Muitas das vítimas que procuram a SaferNet relatam sofrer ameaças, e a ameaça em si já é uma violência. As chantagens têm o propósito de obter mais imagens, um encontro presencial ou querem que quantias sejam pagas para que não ocorra o vazamento”, ressaltou.

Vítimas podem contar com o canal de ajuda por telefone da Safernet, que é gratuito e funciona 24 horas por dia. A organização disponibiliza ainda um site sobre o tema, com um vídeo explicativo e uma série de recursos para pais e educadores.

Confira abaixo o vídeo dublado pela cantora Clarice Falcão, porta-voz da campanha:

Você pode acessar o site oficial da campanha e acompanhar o projeto pelas hashtags #NãoÉSuaCulpa, #TamoJunto e #PareSextorsão.

Com informações do Tudo Celular

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.