Written by 8:22 Curitiba

Ippuc empurra Linha Verde com a barriga, diz MDB

O MDB diz que o Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba) está empurrando os problemas da Linha Verde “com a barriga”. A via de 22 quilômetros corta Curitiba de Norte a Sul (do Atuba ao Pinheirinho) e sofre com engarrafamentos, passagem de pedestres e isola os 23 bairros que a circundam.

“De concreto, o presidente do Ippuc (Fernando Jamur), em artigo publicado hoje na imprensa, não oferece nada para resolver os gargalos da Linha Verde. Nós, do MDB, sim: queremos eliminar os semáforos, construir nove intervenções, entre trincheiras e viadutos, e diminuir o seu percusso para o motorista de 60 minutos para 25 anos. Essa proposta é factível”,diz João Arruda, presidente estadual do MDB e pré-candidato a prefeito de Curitiba.

João Arruda considera importante que a Linha Verde antecipe as discussões da pré-campanha. “Os pré-candidatos e até o prefeito, através do presidente do Ippuc, voltaram com o assunto à baila. O mais importante é que precisamos resolver o que se tornou um transtorno ao curitibano: cruzar a Linha Verde em qualquer horário do dia. O MDB tem uma proposta e vamos discuti-la com a população”, disse.

Dinheiro tem – O arquiteto Luiz Forte Netto que elaborou o plano de recuperação da Linha Verde para o MDB também questiona a falta de propostas do Ippuc. “Afinal o Ippuc quer ou não resolver o problema de mobilidade na Linha Verde? A média de obras para transposições tem sido de uma a cada gestão, como ainda serão necessárias nove, no ritmo atual serão necessários 36 anos para realizá-las!”, questiona

Forte Netto argumenta que Curitiba sempre foi um exemplo de rapidez na implantação de obras importantes e citou como exemplo a Rua XV (Rua das Flores) e as canaletas exclusivas para ônibus. “É evidente que demais ações complementares deverão ser implementadas simultaneamente. O orçamento da prefeitura pode direcionar os recursos necessários para a obra ser realizada em quatro anos, sem necessidade de financiamento. Só depende de vontade política”, defende o urbanista.

“Já fui presidente do Ippuc em uma época de afirmação do órgão é sei como as coisa funcionam! Perguntaram à população se ela quer a Linha Verde livre de semáforos em quatro anos ou 36 anos? Tal obra realizada irá ,com certeza, acelerar as demais ações previstas para essa importante via da cidade. Não concorda Ippuc?”, questiona Forte Netto.

(Visited 4 times, 1 visits today)

Close