por 11:56 Sem categoria

Iguaçuenses sofrem com falta de vagas nas creches da cidade

EDUCAÇÃO

Iguaçuenses sofrem com falta de vagas nas creches da cidade

A reportagem telefonou para cinco creches, mas a resposta era a mesma: “Não há vaga”

Crianças em casa, com suas mães sem condições de trabalhar. Esta é uma realidade de Foz do Iguaçu, devido a falta de vagas nas creches municipais. O Jornal do Iguaçu vem recebendo várias reclamações de pais que estão na lista de espera da Educação. A reivindicação também chegou ao Poder Legislativo da cidade, que questiona a falta de creches em Foz.

A secretária de Educação, Maria Bernardete Sidor foi procurada pela reportagem, mas estava em reunião e afirmou que vai repassar as informações referentes ao assunto ainda hoje (quarta,21).

“Não há vaga” – A equipe do Jornal do Iguaçu, ao receber as reclamações de pais, entrou em contato, por telefone, com cinco creches municipais. Afirmando que estava procurando uma vaga para uma criança de 2 anos, a reportagem perguntava sobre esta disponibilidade. A resposta em todas as unidades era a mesma: “Não há vaga”. As funcionárias, que não sabiam que estavam sendo gravadas, ainda informavam como a “mãe” deveria fazer, como visitar a creche e fazer uma inscrição para colocar o nome da criança em uma lista de espera; uma das unidades educacionais disse ainda que não fazia lista de espera, para não dar uma falsa expectativa para a família. As funcionárias ainda afirmaram que este problema com vagas é uma realidade com crianças de outras idades.

Logo que assumiu a administração municipal, o prefeito Paulo Mac Donald defendia que a Educação seria um setor prioritário em sua gestão, informando ainda que na administração anterior, eram “apenas 3,9 mil vagas nas creches e longas listas de espera, e que seriam oferecidos ainda duas mil novas vagas”. A secretária foi procurada para informar sobre a existência desta lista de espera e quais as medidas que o município está fazendo para combater esta falta de vaga. Por telefone, ela disse que estava em reunião, e não poderia oferecer nenhuma informação, o que seria feito ainda hoje.

Algo comum – O vereador Djalma Pastorello (PSDB), revelou que “é constantemente procurado por mães solicitando vagas nas creches para seus filhos, pois dependem disso para conseguirem trabalhar. Todo ano acontece esta grande procura aqui na Câmara. Infelizmente não posso fazer com que consigam a vaga, pois existe uma lista de espera. Agora, o que nós vereadores devemos cobrar é maior disponibilidade de creches em Foz. Estas mães acabam perdendo seus empregos, pois não é viável trabalhar fora e ganhar um salário mínimo e ainda ter que pagar alguém para cuidar das crianças em casa. Ainda existem mães que chegam aqui afirmando que muitas crianças que poderiam estar em escolas particulares, estão ocupando as vagas nas creches municipais. Agora, temos que verificar se estas vagas prometidas pela prefeitura foram realmente providenciadas. Sei que estão sendo feitas reformas e que novas creches estão sendo construídas, mas temos que verificar se estas medidas são suficientes”, questionou o vereador.

Outros problemas – Além da falta de vaga, os pais também informaram que “depois de uma reunião nas creches, todos foram informados que nenhuma criança poderia faltar cinco dias consecutivos sem justificativa, pois perderiam a vaga para alguma criança que estava na lista de espera. Isso mostra que Foz está na lista de espera”, relataram os pais, que ainda reclamam da falta de ar-condicionado nas salas de estudo e descanso das crianças nas creches, que também era uma promessa que foi feita no início desta gestão. “Referente ao ar-condicionado, a explicação que nos fornecem é que a licitação para a compra dos equipamentos está para acontecer”, dizem os pais. A secretária também deve falar hoje sobre o cumprimento desta promessa.

CI das creches pede comprovante da prefeitura

O vereador Djalma Pastorello, que assinou o requerimento da Comissão de Inquérito que investiga supostas irregularidades na contratação de serviços para limpeza predial, higienização e conservação das 32 creches municipais de Foz, afirmou que os membros da CI já solicitaram comprovante do contrato da empresa responsável pela limpeza. “Formamos a comissão e agora estamos esperando a prefeitura mandar este comprovante, para que as respostas comecem a aparecer”, disse Pastorello.

A CI quer averiguar o pagamento de R$ 1.134.000,00 feito à empresa Eckhardt & Lucini Ltda pelos serviços de limpeza nas 32 creches pelo prazo de 90 dias. Valor que corresponde a R$ 378 mil por mês. Segundo o vereador, anteriormente, o contrato contava o valor de R$ 90 mil, por 90 dias. Entretanto, o empenho sob o número 1.326/2005, datado de 7 de março de 2005 , apresenta o valor de R$ 1.134.000,00 , por serviços prestados no período de 90 dias.

A CI é formada pelos vereadores Djalma Pastorello, autor do requerimento, Pedro Hsu e Tadeu Madeira.

(Stela Marta – www.ji.inf.br)

Fechar