por 09:14 Sem categoria

FOZ DO IGUAÇU CONSOLIDA PÓLO DE EDUCAÇÃO

Foz do Iguaçu está preste a receber mais seis instituições de ensino público – de níveis médio, pós-médio e superior – nos próximos anos que consolidam de vez a cidade como pólo de educação e suprem a demanda de mão-de-obra qualificada em setores de ponta no mercado de trabalho.

Ainda em março, o governador Roberto Requião vai inaugurar o Centro de Educação Profissional do Senac nas antigas instalações do Hotel Cassino. O centro terá cursos de hotelaria, gastronomia, turismo, saúde, beleza, comércio, gestão empresarial, informática, conservação e zeladoria. Serão abertas até 600 vagas e a capacidade é de formar quatro mil trabalhadores qualificados em cinco anos.

Entre o segundo semestre de 2009 até 2012, Foz receberá as instalações da Unila (Universidade de Integração Latino América). Serão mais 36 cursos (25 de graduação e 11 de pós-graduação), nove centros de estudos e um centro de formação de professores. São 700 vagas de imediato com pretensão de cinco mil até seu quinto ano.

trecho do artigo do deputado Chico Noroeste (PR). Leia aqui a sua íntegra.

por 09:12 Sem categoria

Foz do Iguaçu consolida pólo de educação

Foz do Iguaçu consolida pólo de educação

por Chico Noroeste

Foz do Iguaçu está preste a receber mais seis instituições de ensino público – de níveis médio, pós-médio e superior – nos próximos anos que consolidam de vez a cidade como pólo de educação e suprem a demanda de mão-de-obra qualificada em setores de ponta no mercado de trabalho.

Ainda em março, o governador Roberto Requião vai inaugurar o Centro de Educação Profissional do Senac nas antigas instalações do Hotel Cassino. O centro terá cursos de hotelaria, gastronomia, turismo, saúde, beleza, comércio, gestão empresarial, informática, conservação e zeladoria. Serão abertas até 600 vagas e a capacidade é de formar quatro mil trabalhadores qualificados em cinco anos.

Entre o segundo semestre de 2009 até 2012, Foz receberá as instalações da Unila (Universidade de Integração Latino América). Serão mais 36 cursos (25 de graduação e 11 de pós-graduação), nove centros de estudos e um centro de formação de professores. São 700 vagas de imediato com pretensão de cinco mil até seu quinto ano.

Já unidade da Universidade Tecnológica Federal do Paraná para Foz do Iguaçu está autorizada pelo Ministério da Educação e terá um curso de um curso de nível médio (tecnologia) e dois de nível universitário (gastronomia e biotecnologia). A expectativa é a de atender 1,8 mil estudantes.
Há ainda em processo de instalação o Instituto Mercosul de Estudos Avançados (Imea), a Universidade Popular do Trabalho (UPT) e Universidade Aberta do Brasil (UAB). O Imea oferecerá cursos de pós-graduação (mestrado, doutorado e pós-doutorado) e coordenará pesquisa sobre temas relativos à integração dos países do Mercosul. A UPT qualificará os trabalhadores em cursos abertos e a UAB já está instalada no Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) com dois cursos de graduação (100 estudantes) e três cursos de especialização (232 estudantes).

Numa conta simples, serão mais 40 cursos, a maioria de ensino superior, que vêm a somar aos 71 já oferecidos por sete instituições de ensino: Unioeste (13 cursos), Uniamérica (14), UDC (16), Unifoz (3), Cesufoz (12), Anglo Americano (13). Essas escolas, juntas, oferecem 66 cursos de especialização. A Unioeste e UDC abriram ainda dois cursos de mestrados. Somados aos 14 oferecidos, serão, no curto prazo, 82 cursos de pós-graduação.

Foz do Iguaçu também dará um salto de no número de estudantes de pós-médio e de ensino superior. Dos atuais 16 mil (14.431 no superior e 1.649 no pós-médio), a cidade praticamente dobrará esse número em dois, três anos. O mesmo pode-se dizer ao número de professores. Foz hoje tem cinco mil professores em todos os níveis de ensino e poderá receber mais cinco mil nesse período de três anos.

Nota-se que a cidade, já hoje, tem 14.865 estudantes matriculados no ensino médio e pós-médio contra 14.431 no ensino superior – o que significa que muita gente que faz o ensino médio em outras épocas voltou a estudar. Isso também fará que a cidade que hoje tem 5% da sua população com formação superior alcance rapidamente os 30% – percentual hoje dos moradores com formação no ensino médio.

Além dessa qualificação profissional e de formação cidadã dos moradores e de quem vai escolher a cidade para estudar, Foz vai precisar de toda uma estrutura para receber os estudantes. Os pequenos hotéis, uma e duas estrelas, hoje com falta de hóspedes, poderão se tornar hotéis repúblicas, albergues, casas de estudantes.

Esse é só um exemplo de quanto a cidade vai ganhar com mais 15 mil estudantes e cinco mil professores num curto espaço de tempo. O comércio, os serviços, enfim, todos os setores da nossa economia terão novo incremento com essa nova realidade que está tão perto de se concretizar.

Chico Noroeste, bacharel em Ciências Contábeis, é deputado estadual pelo PR

Fechar