por 20:31 Chico Brasileiro, Destaques, Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu consolida maior programa habitacional do Paraná, diz Chico Brasileiro


Com a construção, autorizada pela Cohapar, de mais 100 casas, Foz do Iguaçu consolida o maior programa habitacional no Paraná, segundo o prefeito Chico Brasileiro. “Vamos entregar mais de 1,1 mil casas até o primeiro semestre de 2021”, adianta o prefeito.

Em setembro, a prefeitura entregou 340 unidades habitacionais do Residencial Angatuba. Nos próximos dias  serão entregues os conjuntos habitacionais Boicy I e Boicy II, na região de Três Lagoas, com 576 apartamentos  e as 25 moradias na região da Vila C, totalizando 941 moradias entregues até o início de 2021. Outras 40 casas estão em construção no Condomínio do Idoso.

“Sabemos o quanto é importante uma moradia digna e por isso buscamos parcerias com os governos estadual e federal. Graças ao bom relacionamento, obtivemos êxito em dois novos programas que já estão sendo construídos em Foz do Iguaçu”, disse Chico Brasileiro.

Novas casas – 
As obras do condomínio do idoso já atingiram mais de 70% de execução. O condomínio, tem ainda horta comunitária, academia a céu aberto, quiosque, bancos de repouso e um centro de convivência com biblioteca, cozinha com churrasqueira, dois banheiros, sala administrativa, salão de jogos e espaço de atendimento médico. 

Já a construção das 100 casas anunciadas pelo Cohapar custarão R$ 8,2 milhões, recursos do programa Casa Fácil Paraná. Os imóveis são voltados a famílias com renda mensal de um a seis salários mínimos.

Está previsto, também para o início de 2021, a entrega de outras 25 casas da Vila C, para famílias que moram em áreas de risco. Essas moradias foram construídas  por meio de uma parceria entre prefeitura, Itaipu Binacional e Governo do Estado.

“Serão 1.106 casas entregues até o primeiro semestre de 2021. Estamos cumprindo com o proposto no plano de governo. Temos o compromisso de garantir o direito à moradia ao iguaçuense, o objetivo é ampliar ainda mais a oferta e atender as demandas que estavam reprimidas”, reafirmou Chico Brasileiro.

Fechar