Escrito por 18:11 Brasil, Cotidiano, Economia, Internet e Tecnologia

Empresa de Marechal Rondon se destaca no mercado com auxílio do PTI

Compartilhe

Rondotec Tecnologia ganha impulso de crescimento no processo de incubação. Expectativa é vender produtos mais personalizados para mercados específicos

Em Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná, uma empresa do ramo de tecnologia ganhou destaque na prestação de serviços e venda de produtos customizados na área de telecomunicação após a entrada na Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). O processo de incubação da Rondotec Tecnologia, já consolidada no ramo de soluções para provedores de internet, impulsionou os investimentos da empresa nas áreas de telemetria e telecomunicação.

Criado em 2012, o empreendimento foi o primeiro a ser incubado pela unidade da Incubadora em Marechal Cândido Rondon, em 2017. Originalmente voltada para a fabricação de antenas e hardwares similares, a empresa participou do processo de pré-incubação em 2014, em que recebeu capacitações, assessorias de negócios e foi orientada para implementar estratégias inovadoras.

Conforme conta Ralf Dreschler, um dos sócios da Rondotec, as ferramentas ofertadas pela Incubadora possibilitaram a ele e seu sócio, Edson Beckenkamp, atuarem na área de telecomunicação por meio do desenvolvimento e fabricação de equipamentos elétricos como fontes, conversores, controladores, retificadores, além de se especializarem em sistemas de telemetria para provedores de médio e grande porte, indústrias e empresas do setor elétrico.

Para Ralf, investir no desenvolvimento de assistência para provedores veio ao encontro de uma necessidade sentida pelos próprios sócios da Rondotec. “Fizemos uma pesquisa de mercado e vimos que era um problema para outros provedores também. Avaliamos que não havia uma concorrência internacional e que, dentro do mercado local, que vem crescendo bastante, não seria difícil competir”, comentou o empresário. Entre os destaques dessa evolução, completou Ralf, está a implementação de fibra óptica, que vem sendo expandida pelos provedores regionais e mostrou-se como uma grande oportunidade para a empresa.

“Buscamos trabalhar com produtos que possuem maior valor agregado, que forneçam garantia total ao cliente”, avalia o empresário. Além do investimento no mercado de fibra óptica, explica Ralf, projetos futuros para a Rondotec envolvem investimentos nas áreas de telemetria e Internet das Coisas (IoT), por meio de plataformas já desenvolvidas pela empresa. “A expectativa é essa: vender produtos personalizados para cada cliente, criando um mercado mais específico e soluções mais inovadoras”, completou.

Capacitação

Segundo Ralf, a assessoria prestada pelos técnicos da Incubadora Santos Dumont foi um diferencial para alavancar os negócios da empresa. “Percebemos o quanto o mercado de antenas era mais agressivo e demandava um investimento maior devido à forte concorrência. Uma das capacitações que tivemos nos apontou um novo foco de investimento, no qual não era necessário deixar de desenvolver um produto que poderia vir a tornar-se uma oportunidade de negócios para o mesmo tipo de mercado”, explicou o empresário.

Rondotec Informática é uma das 12 empresas atualmente incubadas pela Incubadora Santos Dumont. A unidade da Incubadora em Marechal é uma ação conjunta do PTI com a Prefeitura Municipal e a Associação Comercial.

A Incubadora

A Incubadora do PTI possui sede no Parque, localizado na área da usina da Itaipu Binacional, e conta com outras duas unidades, uma na Uniamérica, em Foz do Iguaçu, para projetos específicos de alunos da faculdade, e outra em Marechal Cândido Rondon. De 2006 até 2017, foram lançados 11 editais para incubação. Neste período, 56 empresas passaram pela Incubadora do Parque, gerando um faturamento de aproximadamente R$ 50 milhões.

Close