por 16:55 Sem categoria

Empregos gerados este ano no Paraná sobem para 122 mil e têm novo recorde

Empregos gerados este ano no Paraná sobem para 122 mil e têm novo recorde

O Paraná apresentou em julho o melhor saldo de geração de empregos para o mês de toda série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged): 13.635 trabalhadores foram contratados com carteira assinada no período. O número é 35,4% maior que o do mesmo mês de 2007, quando 10.068 pessoas entraram no mercado de trabalho no Estado.

Com o resultado do mês, o Ministério do Trabalho e Emprego informou nesta terça-feira (19) que o Paraná gerou nos sete primeiros meses do ano 122.792 novos empregos formais, alta de 16,6% na comparação com igual período do ano anterior. Foi mais um recorde histórico. O resultado do período ficou próximo do de todo ano passado, quando o Paraná gerou 122.361 empregos.

O desempenho paranaense em julho foi bem superior aos dos demais Estados da região Sul. Em Santa Catarina, foram gerados 7.585 empregos e no Rio Grande do Sul 4.522. O resultado coloca o Paraná na quarta colocação no ranking nacional para o mês.

Para o secretário do Trabalho, Emprego e Promoção Social, Nelson Garcia, os números mostram a eficiência das políticas públicas adotadas pelo Governo Roberto Requião na geração de emprego e renda. “O Paraná tem uma política pública que troca impostos por empregos, isenta as microempresas do pagamento de ICMS e reduz o imposto para empreendimentos de pequeno e médio porte. Isso faz com que essas empresas cresçam e contratem mais”, analisa.

“Temos ainda o maior salário do país, que é um grande indutor de distribuição de renda, e investimos pesado em qualificação profissional, o que facilita a inserção do trabalhador no mercado. Desde 2003, início do Governo Requião, foram capacitados 49.673 trabalhadores”, informa Nelson Garcia.

SETORES – A construção civil foi a atividade econômica que mais apresentou crescimento em julho na comparação com igual mês de 2007. Contratou 2.722 pessoas, crescimento de 110%. Em seguida, aparece o setor de serviços, que com 4.070 novos trabalhadores, teve expansão de 49,9%.

No comércio, foram admitidos 2.298 funcionários, alta de 4,4%. A agropecuária criou 369 vagas de trabalho, contra 110 em julho do ano anterior. O único setor que apresentou cresceu menos foi a indústria da transformação, que gerou 3.601 empregos formais, número 8% menor.

ACUMULADO DO ANO – Os 122.797 empregos gerados no Paraná neste ano, além de representar alta de 16,6%, também formaram o melhor resultado desde 1997 para o período e colocou o Estado entre os três que mais geraram empregos formais no Brasil.

O Paraná ficou atrás apenas de São Paulo (645.810), Estado quatro vezes mais populoso, e Minas Gerais (250.333), com população duas vezes maior que a do Paraná. No Brasil, foram contratados 203.218 novos trabalhadores, resultado 60% maior.

INTERIOR – Principal responsável pelo bom desempenho paranaense, ao registrar 67,35% do total das vagas, ou o correspondente a 82.697 empregos, o interior ganhou mais uma vez destaque no acumulado do ano. Já na Região Metropolitana de Curitiba, foram gerados 40.095 novos postos de trabalho, aumento de 44,2%. Só na capital, foram 25.836 trabalhadores contratados.

Com os números destes sete meses o estoque de mão-de-obra no Paraná cresceu 7,2% nos últimos 12 meses e alcançou 2.070.317 de trabalhadores com carteira assinada.

Desde 2003, início do Governo de Roberto Requião, já foram gerados no Paraná 588.946 empregos. De acordo com o secretário Garcia, a expectativa é o resultado chegue aos 600 mil neste mês de agosto. “Nosso objetivo é bater todos os recordes e com certeza vamos conseguir. Os resultados apresentados por este governo são impressionantes, ainda mais se comparados com o governo anterior, quando foram gerados apenas 37.882 novos postos de trabalho”, afirma.

TABELA COMPARATIVA:

Geração de empregos formais no Paraná

1995 – 25.327
1996 – 32.805
1997 7.463
1998 – 35.657
1999 – 16.549
2000 28.143
2001 53.857
2002 58.857

Saldo do período: 37.882

2003 62.370
2004 122.648
2005 72.374
2006 86.396
2007 122.361
2008 122.792 (janeiro a julho)

Saldo do período: 588.946
Fonte: Caged (Ministério do Trabalho)

Fechar