0 Shares 298 Views

Em seis anos, Família Paranaense reduz extrema pobreza em 57,4%

28 de março de 2018
298 Views
Em seis anos, Família Paranaense reduz extrema pobreza em 57,4%


Todas as prefeituras paranaenses terão um novo instrumento para cuidar melhor das famílias em vulnerabilidade social. Na comemoração dos seis anos do programa Família Paranaense – aberta pelo governador Beto Richa e pela secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, nesta terça-feira (27) – foi anunciada a liberação de informações mapeadas para subsidiar a formulação de políticas públicas para aqueles que mais precisam. Nestes seis anos, 331 mil famílias foram atendidas em alguma modalidade do programa Família Paranaense, que reduziu em 57,4% a extrema pobreza no Estado.

Richa afirmou que o Paraná foi o estado das regiões Sul e Sudeste que mais reduziu a pobreza e atribuiu os resultados também à boa parceria com as administrações municipais. “Outro diferencial deste programa é ter porta de entrada e de saída, pois visa à emancipação das famílias”, afirmou o governador.

Ele acrescentou que o público atendido tem a sua contrapartida social, com filhos na escola, prontuário nas unidades de saúde e vacinações em dia. “Já o chefe de família tem obrigação de participar do programa de qualificação profissional para que, ao término de dois anos de atendimento, esteja pronto para ingressar no mercado de trabalho”, completou o governador.

Richa também destacou as ações e os investimentos do Governo do Estado nas áreas de educação, saneamento, habitação, saúde e infraestrutura. “Se vocês viram obras no Paraná, podem esperar por mais. Vamos investir R$ 8,4 bilhões neste ano, volume 8% maior que o do ano passado. É o maior investimento da história do Estado”, disse ele.

PROGRAMA – O total de investimentos do programa Família Paranaense, desde 2012, chegou à casa de R$ 230 milhões, destinados à transferência de renda, projetos intersetoriais e ações desenvolvidas pelos municípios. Atualmente, há 48 mil famílias com acompanhamento individualizado. Somente em programas de transferência de renda, foram R$ 141,5 milhões para 309,1 mil famílias dos 399 municípios.

Das famílias participantes do programa, 34,7% saíram de moradias improvisadas para casas melhor estruturadas; houve aumento de 26,8% no número de famílias com banheiro no domicílio e crescimento de 22% no número de crianças e adolescentes na escola, das famílias acompanhadas pelo programa. Também houve redução de 34,7% dos casos de trabalho infantil na família.

Pelo Renda Agricultor Familiar, uma das modalidades do programa, as famílias beneficiadas recebem até R$ 3 mil em parcela única, para melhorar a produtividade e a qualidade da água e do saneamento de pequenas propriedades. Foram repassados R$ 2 milhões para 1.470 famílias de 104 municípios.

EIXOS – O Família Paranaense desenvolve trabalho intersetorial, com participação de 19 secretarias de Estado e empresas públicas. Os principais eixos de atuação são assistência social, educação, saúde, habitação, agricultura e trabalho. “A vulnerabilidade social das famílias é diminuída com acesso às redes de serviços. Com a integração entre órgãos públicos potencializamos a autonomia nas famílias”, afirmou Fernanda Richa.

O programa atua de acordo com alguns critérios e etapas. O Índice de Vulnerabilidade das Famílias (IVF-PR), que inclui informações do Cadastro Único; o Sistema de Acompanhamento das Famílias identifica famílias prioritárias; e o Plano de Ação Intersetorial, individualizado para cada família.

A coordenadora do Família Paranaense, Letícia Reis, afirmou que houve redução de 71,39% na vulnerabilidade das famílias acompanhadas. “Temos vários projetos acontecendo e investimento em várias áreas. Chegamos a famílias pobres do campo e inserimos as mais vulneráveis na rede de serviço público”, disse Letícia.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.