por 08:17 Destaques, Luiz Claudio Romanelli, Paraná

Em Brasília, vamos dizer não a outorga no pedágio, diz Romanelli


O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) defendeu nesta quarta-feira, 10, que a comitiva da frente parlamentar que vai a Brasília tem que ir como posição fechada nas reuniões técnicas na EPL, ANTT e Ministério da Infraestrutura. “Vamos lá dizer não a taxa de outorga”.

“O Paraná não aceita que tenha taxa de outorga na licitação, queremos uma licitação transparente e que a empresa que oferecer a menor tarifa é que vai ser a concessionária. Não adianta ir lá em Brasília e discutir o que é acessório, temos que, na verdade, discutir um modelo, que é o principal”, completou

Os ajustes e conversas, segundo Romanelli, são importantes, mas a questão central é o preço da tarifa, do modelo defendido pelo Paraná. “Não vi uma única pessoa até agora defender a taxa de outorga, ninguém. Não vamos pagar mais um tributo tributo para o governo federal

Sem tributo – 
O povo paranaense, diz ainda Romanelli, não é de segunda categoria. “Por que vamos ter que pagar R$ 6 bilhões, R$ 8 bilhões, R$ 9 bilhões para o governo federal durante 30 anos para poder ter rodovias no estado?”.

O pagamento desses valores não garante obra alguma, ao contrário, diz o deputado.  “Queremos licitação limpa, como os catarinenses tiveram, Rio Grande do Sul teve, pelo menor preço!

“Se for para Brasília tem que levar um manifesto da Assembleia Legislativa contra a outorga. Queremos o menor preço! Não adianta ficar fazendo reunião em Brasília se o governo federal não mudar a postura dele, com o ministro Tarcísio Freitas (Infraestrutura) se ele não quiser mudar (o modelo). A nossa posição tem que ser clara, não adianta subterfúgios”.

Fechar