0 Shares 279 Views

Em ano de crise, Foz do Iguaçu leva otimismo ao Salão Paranaense de Turismo

13 de março de 2016
279 Views

salao abav

A Gestão Integrada do Turismo de Foz do Iguaçu inaugurou no 22º Salão Paranaense de Turismo, em Curitiba, seu novo estande de 54 m², desenvolvido pela Itaipu Binacional. O estande, que chama a atenção pelo nome “Foz do Iguaçu” grafado em letras garrafais, passará a ser utilizado em todas as feiras do setor. O espaço conta com um painel de Led P4 (medindo 4 por 2 metros) e tem como uma das atrações um vídeo de altíssima resolução (4K) sobre as Cataratas do Iguaçu, desenvolvido em parceria com a Samsung para os expositores de TV da marca no mundo todo.

Promovido e organizado pela Associação Brasileira das Agências de Viagens do Paraná (Abav-PR), o Salão reúne profissionais de turismo do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de países como Paraguai, Uruguai e Argentina. A feira de negócios, com cerca de 80 expositores, como operadoras de turismo, hotelaria, destinos, atrativos e companhias aéreas, deve receber cerca de 5 mil visitantes até este sábado (12), para conhecer novidades do setor, promover negócios e consolidar parcerias.

A participação de Foz do Iguaçu é considerada “fundamental” pelo presidente da Abav-PR, Roberto Bacovis, pois, segundo ele, realizar a edição do Salão Paranaense este ano foi “desafiador”. “O turismo no Paraná começa por Foz”, disse, lembrando que a cidade é também exemplo para o Brasil pela Gestão Integrada do Turismo, liderada por Itaipu Binacional, Fundo Iguaçu, Iguassu Convention & Visitors Bureau (ICVB) e Secretaria Municipal de Turismo.

Desafios e oportunidades
O superintendente de Comunicação Social de Itaipu, Gilmar Piolla, disse que 2016 “tem tudo para ser um ano excepcional para o turismo”. Além de ser o ano das Olimpíadas no Rio de Janeiro, o dólar valorizado torna o País mais acessível para os turistas estrangeiros e, ao encarecer a viagem de brasileiros ao exterior, amplia as oportunidades para o turismo interno.

Para Piolla, “o turismo é o único setor (da economia) que pode dar respostas rápidas para o Brasil sair da crise”. Mas é preciso agir e “não deixar o pessimismo tomar conta”, alertou.

Foz do Iguaçu está fazendo a sua parte, assegurou. Logo depois da Páscoa, por exemplo, o Destino Iguaçu vai lançar em todo o Brasil uma campanha promocional para estimular o turismo nos meses de baixa temporada, que será denominada “Faça uma maravilha de viagem – Foz do Iguaçu espera por você!”.

Piolla informou também que, durante o Festival Internacional de Turismo das Cataratas (dias 15, 16 e 17 de junho), serão anunciadas novidades para atrair visitantes com diferentes motivações: o Salão Brasileiro de Turismo Termal e Spa, para atender ao público que busca locais onde possa desfrutar de benefícios à saúde (a região de Foz do Iguaçu tem águas termais do Aquífero Guarani), e o Salão de Turismo de Compras na Fronteira, que será promovido em parceria com as cidades vizinhas Ciudad del Este, no Paraguai, e Puerto Iguazú, na Argentina.

Melhorias
Foz do Iguaçu também está revitalizando seus atrativos, disse o superintendente de Comunicação Social da Itaipu. O Marco das Três Fronteiras e o Espaço das Américas, que estavam praticamente abandonados, foram concedidos à iniciativa privada, que está implantando um projeto para a criação de um conjunto de atrativos no local. Já na primeira fase, a revitalização garante ao visitante conforto e segurança para apreciar o encontro de dois rios (Paraná e Iguaçu) e três países (Brasil, Paraguai e Argentina).

Entre outras novidades, o Complexo Turístico Itaipu, segundo maior atrativo da fronteira, também está recebendo melhorias, para que o visitante passe mais tempo e aproveite melhor os passeios que a usina oferece. Mas Piolla disse que, a par de tudo o que se possa fazer localmente, o governo deve contribuir para que o turismo de maneira geral possa reagir a um período difícil na vida brasileira. No Paraná, uma das medidas adotadas pelo governo estadual acabou sendo muito prejudicial ao setor.

Crise aérea
Durante seu discurso, Piolla aproveitou para pedir apoio das lideranças e entidades do turismo para que se unam na tentativa de tentar reverter a decisão do governo do Estado que, em meados do ano passado, aumentou o ICMS do querosene da aviação no Paraná, de 7% para 18%. “Esta medida é um contrassenso”, criticou, porque está provocando a redução de voos entre Foz do Iguaçu e Curitiba e o cancelamento de outras ligações aéreas com a capital, prejudicando Londrina, Maringá e Cascavel.

“Corremos o risco de perder 300 mil assentos por ano em Foz do Iguaçu, com o cancelamento de cinco voos que passam por Curitiba”, alertou.

Roberto Bacovis, por sua vez, fez um apelo às companhias Tam, Gol e Azul para que revejam sua decisão de reduzir a malha para destinos paranaenses. Já o secretário estadual de Esporte e Turismo, Douglas Fabrício, também em discurso, afirmou que o setor turístico paranaense deve fazer “uma articulação política e de lideranças” e levar ao governador Beto Richa “argumentos convincentes sobre a necessidade de rever o aumento”.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.