por 17:00 Sem categoria

Duas secretarias interessam a petistas paranaenses

As secretarias do Emprego, Trabalho e Promoção Social e Agricultura são as duas áreas de interesse do PT do Paraná no segundo mandato do governador Roberto Requião (PMDB). A preferência foi sinalizada no encontro do diretório estadual do partido, concluído ontem em Curitiba. O documento final aprovado pela reunião do diretório não aponta nomes, mas informalmente a lista é encabeçada pelo deputado estadual reeleito Elton Welter, que tem o apoio do grupo que detém a direção estadual para ocupar a Secretaria da Agricutura, e o secretário nacional de Agricultura Familiar, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Walter Bianchini.  A deputada estadual reeleita Luciana Rafagnin e o deputado federal Assis do Couto também estão nessa relação. Já o deputado estadual eleito Enio Verri, que estava sendo cotado para a Secretaria do Planejamento, avisou que gostaria de exercer seu primeiro mandato na Assembléia Legislativa.  – matéria de Elizabete Castro, no Estadinho – www.parana-online.com.br. Leia a sua íntegra em Reportagens.

por 16:57 Sem categoria

Duas secretarias interessam a petistas paranaenses

Duas secretarias interessam a petistas paranaenses

Elizabete Castro

As secretarias do Emprego, Trabalho e Promoção Social e Agricultura são as duas áreas de interesse do PT do Paraná no segundo mandato do governador Roberto Requião (PMDB). A preferência foi sinalizada no encontro do diretório estadual do partido, concluído ontem em Curitiba. O documento final aprovado pela reunião do diretório não aponta nomes, mas informalmente a lista é encabeçada pelo deputado estadual reeleito Elton Welter, que tem o apoio do grupo que detém a direção estadual para ocupar a Secretaria da Agricutura, e o secretário nacional de Agricultura Familiar, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Walter Bianchini. 

A deputada estadual reeleita Luciana Rafagnin e o deputado federal Assis do Couto também estão nessa relação. Já o deputado estadual eleito Enio Verri, que estava sendo cotado para a Secretaria do Planejamento, avisou que gostaria de exercer seu primeiro mandato na Assembléia Legislativa.

Na resolução aprovada na reunião, o diretório formalizou a autorização para que uma comissão formada pelo presidente do partido no Paraná, André Vargas, a ex-candidata ao Senado Gleisi Hoffmann e o diretor geral da Usina de Itaipu, Jorge Samek, abram as negociações com o governador, que já vêm sendo feitas informalmente.

Vargas disse que o partido aguarda o convite oficial de Requião, mas que a avaliação interna é que o espaço a ser ocupado pelo PT tenha uma relação direta com as ações do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A agricultura e a área de execução das políticas sociais como a secretaria do Trabalho estão nesta conexão com o governo federal, explicou.

Embora não haja vetos explícitos a indicações, internamente, o partido já decidiu que não irá considerar como sua quota a permanência da ex-reitora da Universidade Estadual de Londrina Lygia Pupatto na Secretária de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior. Pupatto assumiu a secretaria no lugar de Aldair Rizzi, que foi candidato a deputado federal. A intenção do governador seria mantê-la no cargo. Para o PT, o fato de Pupatto ter apoiado a candidatura de Rizzi, um nome do PMDB para a Câmara dos Deputados, é motivo mais que suficiente para considerá-la da quota do governador e do PMDB.

Pendências – A infidelidade também entrou na pauta do segundo dia do encontro. O diretório estadual decidiu, por trinta votos a favor e um contra, pela expulsão do prefeito de Mallet, Rogério da Silva Almeida. Ele foi acusado de não fazer campanha para os candidatos do partido durante a campanha eleitoral neste ano. Na defesa, o prefeito admitiu ter trabalhado em favor da reeleição do governador Roberto Requião desde o primeiro turno, quando o candidato do PT era o senador Flávio Arns. O prefeito também citou que apoiou candidatos do PMDB à Assembléia Legislativa e Câmara dos Deputados na disputa proporcional.

Um segundo caso de denúncia de afronta à orientação partidária teve sua análise suspensa. O deputado estadual reeleito e vice-presidente da Assembléia Legislativa, Pedro Ivo Ilkiv, não pagou a contribuição partidária do seu mandato no valor de R$ 30 mil. Ilkiv chegou a pagar a dívida, mas depois de obter o registro como candidato, sustou o cheque. Ontem, o diretório iria votar uma punição a Ilkiv, mas o deputado alegou que está doente e não compareceu à reunião. Como não pode ser julgado à revelia, nova votação será marcada.

O Estado do Paraná – www.parana-online.com.br

Fechar