Written by 7:00 Brasil, Economia, Eleições 2016, Paraná, Politica

Dr. Kosmos vai focar gestão na questão social e no desenvolvimento de Palmas

dr-kosmos-diplomacao

Prefeito eleito de Palmas, Dr. Kosmos e esposa, a professora Joseana Nicolaou, na cerimônia de diplomação no Centro Cultural Dom Agostinho José Sartori

A gestão do Doutor Kosmos Nicolau (PEN) vai focar as ações em programas e projetos para melhorar os índices sociais e no desenvolvimento econômico de Palmas. O município, com aproximadamente 48 mil habitantes, tem um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) entre os 42 que integram o Sudoeste do Paraná.

“Vamos direcionar nossa administração para as pessoas que se encontram em situação de dificuldade e que são as que mais precisam do governo”, afirmou o prefeito eleito no pleito de 02 de outubro último. Doutor Kosmos vai trabalhar pautado na austeridades do controle dos gastos públicos, sem esquecer de setores como educação, segurança e infraestrutura, ressalta.

O município de Palmas, de acordo com o Atlas do Desenvolvimento, elaborado pelas Nações Unidas, é o 40º colocado entre os 42 que integram o Sudoeste, com índice de 0,660. Os dados são referentes ao Censo 2010, realizado nos 5.565 municípios do país.

No Paraná, o município ficou em 345º lugar e no Brasil, ocupa a posição 2.915. O IDH foi criado para medir o nível de desenvolvimento humano nos indicadores de educação (alfabetização e taxa de matrícula), longevidade (esperança de vida ao nascer) e renda (PIB per capita). O índice varia de 0 a 1.

Saúde para todos
Por ser um profissional da área, a saúde terá uma atenção especial na gestão de Dr. Kosmos. Entre as propostas está a instalação, em Palmas, de um posto nos moldes da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas de Pato Branco. A estrutura é dotada com equipamentos e profissionais para atendimento em clínica geral para adultos, pediatria, enfermaria e farmácia.

Dr. Kosmos vai implantar a austeridade no controle dos gastos e uso dos materiais de consumo da prefeitura de Palmas. Atualmente, não existe uma gestão interna para minimizar os desperdícios e maximizar o aproveitamento dos produtos adquiridos pelo poder públicos.

Foto: Facebook

(Visited 17 times, 1 visits today)

Close