Dobrandino convoca militância e destaca o papel da mulher nas vitórias do PMDB

Dobrandino convoca militância e destaca o papel da mulher nas vitórias do PMDB

O deputado estadual Dobrandino da Silva convocou a militância do PMDB para atuar de maneira decisiva na campanha eleitoral que se aproxima. “Temos uma militância muito grande e forte que tem nos acompanhado e através dessa militância temos tirados grandes vitórias em Foz do Iguaçu”, declarou durante a reunião do partido na última sexta-feira (28 de março). Dobrandino destacou ainda o papel e a atuação das mulheres nas vitórias do partido.

“As mulheres em uma campanha realmente fazem a diferença. Elas vão às casas, entram lá e conversam com as pessoas e isso foi muito importante para nós”, completou. O deputado lembrou do trabalho desenvolvido pela mulher, dona Zenaide em conjunto com as filhas. “Elas saem nos bairros em companhia de outras mulheres pedindo voto sem fazer propostas milagrosas. A gente não faz isso”, informou.

Dobrandino lembrou que nas gestões do PMDB as mulheres sempre tiveram presentes. “Sempre estiveram na prefeitura ajudando a população e sem ganhar um centavo. Então, é isso que faz do nosso partido um partido grande e com criatividade”. O deputado lembrou que a eleição que se avizinha será uma das mais difíceis devido as condições dos adversários políticos.

“É como o Sâmis (da Silva) disse, não vamos nos enganar, não será uma eleição fácil, não no fator voto porque a população quer mudar e vamos mudar, mas vamos enfrentar uma pedreira, no sentido deles estarem com a máquina na mão, com o dinheiro do povo que desviaram porque eles não respeitam a lei e nós temos que enfrentar tudo isso”, informou.

“Tenho dito, se fosse para ganhar a eleição e fazer o que eles estão fazendo, era melhor perder. Não queremos ganhar só por ganhar, é ganhar e mudar esta situação, mas que o povo seja beneficiado, este é o nosso propósito”, completou. Dobrandino lembrou o pronunciamento da militante Tereza Paz, esposa do ex-vereador Manoel Paz, destacando a fortaleza do partido que é a militância.

“Realmente é um partido grande, forte e sempre desempenhou muito bem sua atuação, desde as primeiras eleições nossas, ganhamos quase todas, em função do nosso trabalho, daquilo que nos propomos em todas as campanhas e cumprimos o que prometemos”. Dobrandino lembrou que está no sétimo mandato como vereador, prefeito e deputado estadual.

Ele recordou ainda das duas vezes que conduziu os destinos de Foz do Iguaçu e até hoje responde a uma série de ações na Justiça. “Recebi um monte de processo por te feito trabalho e ajudar o povo, sempre fiquei do lado do povo e quando você fica do lado do povo fere interesses dos grandões”. Segundo o deputado, esta sempre foi a conduta de suas administrações, de não fazer a vontade dos grandalhões da cidade. “Por isso fui processado, mas continuo de cabeça erguida por que sei do meu dever cumprido”.

LIÇÃO – Dobrandino destacou ainda a campanha de 2004, quando o PMDB perdeu a eleição. “”Mas isso não foi de todo ruim, o Sâmis já falou de acordo com o que cobrava deles antes, dizia: nada de salto alto, nada de já ganhamos, vamos ganhar e depois governar trabalhando nas ruas com humildade, cabeça erguida, falando com as pessoas ai se ganha uma eleição”, disse.

O deputado lembrou que no período estava muito atribulado com a Liderança do Governo na Assembléia Legislativa em Curitiba e com a presidência estadual do PMDB. “Com a eleição em todos os municípios, todos me ligando o dia inteiro pedindo ajuda e fazer visitas, enquanto em Foz me dizia que já estava ganho e acabamos perdendo. Então serviu de lição isso”.

Segundo Dobrandino, Sâmis agora está reconhecendo o erro, o que é importante do ponto de vista eleitoral. “O caminho é esse, disputei sete eleição e ganhei as sete, mas com humildade e muito trabalho. Sempre enfrentei os poderosos nos debates, nas ruas, onde quer que tivesse, sempre de cabeça erguida porque estava com a verdade. Nunca fui discutir com ninguém querendo envolver as pessoas com discursos para ganhar voto, não faço isso”.

Dobrandino recordou ainda que na campanha de 2004 alertou a população de Foz do Iguaçu, em relação ao atual prefeito Paulo Ghisi. “Dizia que não tinha nada contra a pessoa dele, mas o político Paulo conhecia bem e dizia: vão dar um salto no escuro e deram. Agora muita gente, empresários que se arrogavam por causa do Doutor Paulo Mac Donald, não estão mais com ele e tem vergonha de falar que estiveram”.

“Esta cidade só andou para frente quando estivemos no poder, com humildade trabalhando, buscando recursos fora. Agora ela está andando para traz. Quem pegar a prefeitura no próximo ano terá que arregaçar as mangas mesmo. Vamos ter muito trabalho para colocar a prefeitura na trilha do desenvolvimento de novo”, informou. O projeto, segundo Dobrandino, é retomar a promoção social das pessoas que residem no município, para que as mesmas possam ser bem atendidas e respeitadas.

Maracutaia da prefeitura favorece
aliados na licitação dos cemitérios

O deputado Dobrandino da Silva denunciou uma armação da prefeitura para favorecer grupos aliados na concorrência para a administração dos cemitérios de Foz do Iguaçu. “A administração que era terceirizada acabou. No contrato ele (Mac Donald) está botando o grupo dele. Estão fazendo um cemitério privado na mão de um grupo de empresário e agora o que acontece? Morre uma pessoa, aqui não tem lugar, vão ter que ir lá e lá vão ter que pagar o preço que eles querem”.

“Até a miséria e a dor do povo ele está explorando. Isso imagino que Deus está vendo. Não vai dar certo o que eles querem fazer”, completou. Dobrandino garantiu que o PMDB ganhando a eleição novamente vai acabar com essa picaretagem. “É uma picaretagem o que estão fazendo em Foz do Iguaçu, com aqueles que nos momentos mais doído da vida, quando morre um parente”. Segundo o deputado, os cemitérios públicos serão deixados apenas para os indigentes, como forma de favorecer o grupo privado que vai construir o cemitério particular.

“Fazem isso para as pessoas terem que ir para lá pagarem o preço que eles querem. Além de tudo é um pecado, mas creio que não vai dar certo, porque tudo aquilo que é errado, que é mal intencionado, vai encontrar dificuldades lá na frente”. Dobrandino fez um apelo à população de Foz do Iguaçu para acabar com os desmandos que está prejudicado a cidade. “Meus amigos, liguem falem, com seus amigos e parentes em toda a cidade e digam: a hora de mudarmos é agora. Vamos votar na mudança, vamos acabar com essa roubalheira na prefeitura, vamos votar em que trabalha”.

“Esse é o nosso grande papel, cada um de nós deve e pode ajudar. Nos mercados, nos ônibus, conversem com as pessoas, vamos pedir com a ajuda de Deus que possamos mudar essa situação que está ai hoje”. Dobrandino destacou ainda o pronunciamento do presidente do partido. “Como o Sâmis já falou, ele (prefeito) não vai poder sair nas ruas para pedir votos. Estive na reunião da Câmara Itinerante no Porto Belo, ele não apareceu, é claro que não vai e nem manda secretário, ele manda meia dúzia de pau mandado dele para chegar e no microfone falar há o prefeito faz isso faz aquilo, sabem que é tudo mentira, ele não tem como sair na rua”, encerrou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Câmara aprova projeto que exige fisioterapeuta em CTI em tempo integral

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (4) o Projeto de Lei 1985/19, da deputada Margarete Coelho (PP-PI), que disciplina a permanência de fisioterapeutas em Centros de Terapia Intensiva (CTIs) adulto, pediátrico e neonatal. A matéria será enviada ao Senado.

Em seguida, a sessão da Câmara foi encerrada.

O texto foi aprovado na forma de um substitutivo da deputada Aline Sleutjes (PSL-PR), cujo relatório foi lido em Plenário pela deputada Maria Rosas (Republicanos-SP).

A única mudança no texto retira a quantidade mínima de profissionais, que era de um para cada dez leitos. Entretanto, continua a determinação de que a presença do fisioterapeuta deverá ser ininterrupta, nos turnos matutino, vespertino e noturno, perfazendo um total de 24 horas.

A disponibilidade em tempo integral para assistência aos pacientes internados nesses centros de terapia intensiva deverá ser durante o horário em que o fisioterapeuta estiver escalado para atuar nesses locais.

“Pelo grau de importância do fisioterapeuta para o restabelecimento das pessoas internadas, a presença constante desse profissional é essencial, pois ele reduz o número de dias de internação, ainda mais nessa época de Covid-19”, afirmou a autora da proposta.

Próximas votações
Os deputados voltam a se reunir em sessão deliberativa virtual na próxima terça-feira (9), às 13h55, com pauta a ser divulgada após reunião de líderes a ser realizada às 10h30 desta sexta-feira (5).

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Câmara dá prioridade para mãe chefe de família no auxílio emergencial

Texto vai agora para análise do Senado

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (2) projeto de lei que dá prioridade de recebimento do auxílio emergencial às mães chefes de família, quando o pai também informa ser o responsável pelos dependentes. A matéria segue para análise do Senado. As informações são da Agência Brasil.

Pelo texto aprovado, caso haja conflito entre as informações prestadas pela mãe e pelo pai, a preferência de recebimento das duas cotas de R$ 600 será da mãe, ainda que sua autodeclaração na plataforma digital tenha ocorrido depois daquela feita pelo pai.

“Apenas 3,6% das famílias brasileiras tinham uma configuração com homem sem cônjuge e com filho, segundo o IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística], e mais de 80% das crianças no Brasil têm como primeiro responsável uma mulher”, afirmou a relatora do projeto, deputada Professora Dorinha (DEM-TO).

O projeto determina que o homem com a guarda unilateral, ou que seja responsável, de fato, pela criação, poderá questionar as informações da mãe de seus filhos na mesma plataforma e receber uma das cotas de R$ 600 até que a situação seja esclarecida pelo órgão competente.

“O machismo que as mulheres já sofrem cotidianamente na nossa sociedade vemos novamente expresso quando maridos, que nunca se responsabilizaram pelo cuidado dos filhos, agora requerem o auxílio emergencial em nome da família. Trinta milhões de famílias brasileiras são chefiadas por mulheres e 56% são famílias pobres”, disse uma das autoras da proposta, a deputada Fernanda Melchiona (PSOL-RS). 

Após várias denúncias de mulheres que enfrentaram problemas para receber o benefício após uso indevido do CPF dos filhos pelos pais, o trecho que permitia o recebimento do valor em dobro foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. No entanto, a proposta resgata a possibilidade de concessão do benefício aos pais, com a prioridade para a mãe chefe de família. 

“Muitas mulheres brasileiras de baixa renda enfrentam ainda a violência patrimonial perpetrada por homens sem escrúpulos que, indevidamente, utilizaram e utilizam os CPFs dos filhos menores, que são criados unicamente pelas mães, para acessarem o auxílio emergencial. Isso tem causado enormes prejuízos para essas batalhadoras, além de colocar em risco a sua segurança alimentar e a dos seus dependentes”, afirmou Professora Dorinha.

Duas cotas

O auxílio emergencial foi criado para amenizar os efeitos das medidas de distanciamento e isolamento social necessárias para o enfrentamento da rápida propagação da covid-19. A iniciativa destina o auxílio emergencial de R$ 1,2 mil para mães chefes de família pelo período de três meses.

O texto também determina que a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência – Ligue 180 crie uma opção específica de atendimento para denúncias de violência e dano patrimonial para os casos em que a mulher tiver o auxílio emergencial subtraído, retido ou recebido indevidamente por outra pessoa.

No caso de pagamentos indevidos do benefício emergencial ou realizados em duplicidade por informações falsas, os responsáveis deverão ressarcir os valores recebidos indevidamente ao Poder Público.

*Texto alterado às 21h53 para corrigir os nomes das deputadas.