Written by 11:00 Paraná

Deputado Marchese denuncia gastos com mídia em Maringá

Ao afirmar que não dobrará os joelhos, mesmo sabendo que terá um custo político muito alto, o deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura de Maringá, Homero Marchese, disse que seguirá trilhando seu caminho na defesa dos interesses da cidade e de sua gente. Em entrevista ao Paraná Portal, sustentou que combaterá, com o auxílio do rigor da lei, a estratégia que o atual prefeito, Ulisses Maia, vem comandando na tentativa de desestabilizá-lo politicamente. As informações são do Paraná Portal.

“Meu legado é a credibilidade com que os eleitores depositaram em minha pessoa e me elegeram como o vereador mais votado e o deputado mais votado na cidade. Isso não tem preço”, pontuou.

Marchese usou as redes sociais para falar sobre a relação entre o prefeito Ulisses Maia e Agnaldo Vieira, comentarista da Jovem Pan Maringá e diretor de comunicação da prefeitura. “Parece absolutamente descabido que a mesma pessoa ocupe as duas posições, especialmente porque ele é responsável pela pasta que distribui recursos de publicidade pra veículos da cidade”, disse

O deputado também  disse que o prefeito Ulisses Maia vem fazendo uma “péssima gestão no município que sua preocupação maior é com perfumaria, ou seja, enfeitar a cidade, enquanto áreas como a saúde está um caos, onde o combate à Dengue está a desejar e não entregou as creches prometidas”.

Em referência às acusações de Marchese contra o diretor de Comunicação Social da Prefeitura, Aguinaldo Vieira disse ao Paraná Portal que a distribuição de verbas da Prefeitura Municipal é feita através de mídia técnica, desenhada pela agência vencedora da licitação, a Única Propaganda. “Nós apenas pedimos à agência para que insira, na mídia, sites, portais e blogues, que nos dão rapidez em nossas necessidades de comunicação com a população”.

GASTOS EM PUBLICIDADE

A Prefeitura de Maringá gastou, nos últimos seis meses, aproximadamente R$ 4,9 milhões em publicidade do município. A verba foi utilizada em campanhas referentes à entrega da avenida Carlos Borges, Dia da Independência, Maringá Encantada, entre outras. Devido a impasses jurídicos, a prefeitura teve essa verba liberada apenas no segundo semestre do ano passado, após ter de refazer todo processo licitatório, que começou em 2017

Em maio do ano passado, o TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado do Paraná) recebeu um Pedido Cautelar, emitido pela Sol Propaganda LTDA, contra o prefeito Ulisses Maia (PDT), Douglas Galvão Vilardo, Agnaldo Rodrigues Vieira e Nadir de Lima, questionando a legitimidade do processo licitatório nº 1582/2018 – referente a licitação de contratação de agência de publicidade, cujo valor total é R$ 9 milhões.

Segundo a ação impetrada pela Sol Propaganda, a agência vencedora do certame – ÚNICA Propaganda LTDA – desrespeitou o edital de licitação, utilizando como uma base uma tabela errada da rádio Jovem Pan. Enquanto as demais agências utilizaram valores referente a setembro de 2017, a atual agência utilizou a vigência de 2018.

“No caso da Rádio Jovem Pan, a licitante ÚNICA utilizou uma tabela que só foi publicada em Setembro/2018, em vez da tabela datada em Setembro/2017, que ainda estava vigente em Agosto/2018 (corretamente utilizada por todas as outras licitantes). Nesse sentido, a situação envolvendo a Jovem Pan acabou sendo a maior afronta ao Edital: não haveria como escapar do fato de que a tabela estava errada, inclusive no seu período de vigência”, aponta um dos trechos do processo.

A Jovem Pan emitiu dois documentos. O primeiro, assinado pelo gerente comercial da rádio – Paulo Silva -, dizia que a tabela correta de preços para o período de licitação era a referente a setembro de 2017. Pouco mais de um ano após a assinatura desse documento o diretor presidente da Rádio Jovem Pan emitiu outra declaração, desmentindo a primeira.

“Sobre o envio de preços de tabelas divergentes, esclarecemos que tanto a tabela enviada, como a tabela de Agosto/2018, por questões isonômicas, tem a vigência aceita a partir de Agosto/2018, sendo admitidas como verdadeiras por esta emissora”, diz o documento.

Os valores, entretanto, registrados pela primeira declaração, têm uma variação de 8,62% por inserção. Os valores para inserção rotativa de 30 segundos na rádio, no período Setembro/2017, eram de R$ 58, enquanto o valor para a tabela Setembro/2018 era de R$ 63 por inserção. O edital publicado pela prefeitura de Maringá destaca que qualquer valor em desconformidade com as tabelas de preços de emissoras acarretaria desclassificação.

Mesmo com a ação impetrada pela Sol Propaganda LTDA., a ÚNICA Propaganda foi contratada pela prefeitura e já confeccionou uma série de campanhas, tais como “Refis 2019”, “7 de Setembro”, “Trânsito” e “Obras” do Município. O valor recebido até o presente momento pela Jovem Pan, foi de R$ 32.373,95 através do CNPJ 20.750.710/0001-46, da MR Ferreira ME.

Embora a principal atividade econômica desse CNPJ seja “Loja de variedades, exceto lojas de departamento ou magazines”, consta também a atividade secundária de “atividade de rádio”. Uma segunda empresa, a Lupersil Comunicações LTDA. (inscrição 22.058.385/0001-80) recebeu mais R$ 103.447,60. No relatório da Prefeitura de Maringá, o repasse que consta é para a emissora Rede TV!/ RCC TV Catedral, que só tem alcance via TV à cabo.

No site oficial do Grupo Catedral de Comunicação, as emissoras – de Rádio e TV – que estão no guarda-chuva da Lupersil são: Jovem Pan Maringá, Jovem Pan Foz, Rede TV! Maringá e Rádio Catedral FM. A atividade econômica da Lupersil é “Atividade de Rádio”. Recentemente, inclusive, em depoimento no Tribunal de Justiça do Paraná, Marcelo Reis Ferreira – responsável pela MR Ferreira ME e Diretor Financeiro da Jovem Pan -,  afirmou que a rádio está inscrita no CNPJ  80.929.532/0001-47, com o nome fantasia Rádio Cultura Astorga LTDA. Não houve, entretanto, nenhum repasse da prefeitura para essa empresa.

LICITAÇÃO

A comissão de licitação do certame da publicidade foi composta por Douglas Galvão Vilardo, Agnaldo Rodrigues Vieira e nadir de Lima. O edital foi publicado no dia 28 de agosto de 2018 e tinha como intuito contratar uma empresa de publicidade pelo valor de R$ 9 milhões, em serviços de contratação de mídias e de produtores de conteúdo audiovisual.

Além de membro da comissão, Agnaldo Vieira é diretor de comunicação da prefeitura de Maringá, colunista diário da rádio Jovem Pan, onde é remunerado como articulista político. O comunicador exerce também a função de diretor do Site Manchete, conforme expõe em suas redes sociais.

No relatório da prefeitura de Maringá, tanto o site Maringá Manchete, quanto o site A Folha Maringá, respondem ao nome fantasia A.A. de Oliveira Agência Mark. Propaganda ME. Os empregadores do comissionado – Jovem Pan/ Lupercil e Site Manchete/A Folha -, portanto, receberam respectivamente R$ 135.821,55 e ao menos R$ 12 mil. (Pedro Ribeiro com Victor Duarte).

O diretor de comunicação social da Prefeitura de Maringá, Agnaldo Vieira, explica que a “Sol questionou a Jovem Pan e a TV Maringá pela tabela que não estaria vigente”.

A reportagem tentou falar com o prefeito de Maringá, Ulisses Maia, que não atendeu as ligações por estar em trânsito, em Brasília.

(Visited 6 times, 1 visits today)

Close