por 17:00 Sem categoria

DENÚNCIAS CONTRA BETO RICHA SERÃO LEVADAS AO MPF E TRE

As denúncias contra Beto Richa (PSDB) – por improbidade administrativa, peculato, corrupção passiva e formação de quadrilha – serão apresentadas pelo PMDB, PT, PCdoB e PV ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). As acusações se referem à contratação de funcionários fantasmas e desvio de dinheiro público durante o mandato do Beto Richa (1995-2000) na Assembléia Legislativa do Paraná.

LEIA MAIS

por 16:58 Sem categoria

DENÚNCIAS CONTRA BETO RICHA SERÃO LEVADAS AO MPF E TRE

DENÚNCIAS CONTRA BETO RICHA SERÃO LEVADAS AO MPF E TRE

As denúncias contra Beto Richa (PSDB) – por improbidade administrativa, peculato, corrupção passiva e formação de quadrilha – serão apresentadas pelo PMDB, PT, PCdoB e PV ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). As acusações se referem à contratação de funcionários fantasmas e desvio de dinheiro público durante o mandato do Beto Richa (1995-2000) na Assembléia Legislativa do Paraná.

“Há novas provas e novas testemunhas. Já sabemos também que não trata de seis pessoas nomeadas que jamais trabalharam e que também não receberam durante o mandato de Beto Richa na Assembléia. Há mais sujeira debaixo do tapete do prefeito. Não tem como esconder mais”, disse Doático Santos, presidente do PMDB de Curitiba.

FANTASMAS – As denúncias já foram protocoladas no Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas do Estado e Assembléia Legislativa. Junto com Beto Richa foram denunciados Ezequias Moreira Rodrigues – amigo do prefeito e até há pouco tempo chefe de gabinete da prefeitura -, Milton Teixeira – funcionário da Assembléia Legislativa -, e Robson Teixeira, irmão de Milton.

Beto Richa, Ezequias e os irmãos Teixeira são acusados de conluio para desviar verbas públicas mediante nomeações de pessoas que jamais trabalharam na Assembléia Legislativa. A denúncia ganhou repercussão na imprensa nacional e estadual e estava sendo investigada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

LARANJAS – Beto Richa nomeou as seguintes pessoas como laranjas na Assembléia Legislativa: Rosaldo Neves Teixeira, Robson Teixeira, Maria Margarete Ribas Nalovaike, Divair Antonia de Almeida Cardoso, Ivo Ferreira de Oliveira e Veronica Durau

Beto Richa e Ezequias Moreira articularam as nomeações com Milton Teixeira e colocaram como “laranjas” o filho de Milton, Robson Teixeira, e seu irmão, Rosaldo Teixeira, que diz desconhecer a nomeação, além de outras pessoas, entre elas, Verônica Durau, sogra de Ezequias que seguiu nomeada no gabinete de Beto Richa até agosto de 2007.

“Ezequias com Milton fizeram a ponte para Beto Richa contratar os ‘laranjas’ – os chamados funcionários fantasmas, visando o desvio dos vencimentos dos ‘laranjas’ recebidos da Assembléia Legislativa”, diz a denúncia.

NUNCA TRABALHEI” – Rosaldo Teixeira disse que nunca foi funcionário da Assembléia Legislativa. “Eu nunca trabalhei na Assembléia e o meu nome e os dados como RG e CPF são esses mesmos. Quem trabalha lá é o meu irmão”.

Maria Margarete Ribas Naloveike disse também que jamais trabalhou no legislativo paranaense. “Quem trabalhava lá era meu marido, no gabinete do Beto Richa, mas ele já é falecido há mais de oito anos”.

O mestre de obras Ivo Ferreira de Oliveira afirma que “em momento algum trabalhei no Estado. Eu sou mestre de obra e tem alguma coisa errada aí. Aí estão meus documentos para confirmar se sou eu mesmo. Então alguma coisa tem de errado aí”.

A auxiliar de enfermagem Divair Antonia de Almeida Cardoso desconhece totalmente que tenha sido nomeada no gabinete de Beto Richa. “Estou nervosa, pois sou funcionária pública federal e nunca trabalhei no Estado. Isso aí é uma grande enganação e meus documentos estão aqui para confirmar que nunca trabalhei na Assembléia Legislativa”.

RIGOR – O presidente do PT, André Passos, diz que as denúncias são consistentes e que a população de Curitiba deve tomar conhecimento delas. Passos lembrou o escândalo envolvendo Verônica Durau que veio à público em agosto de 2007. Verônica ficou nomeada sem trabalhar por 11 anos a partir do gabinete de Beto Richa.

O vice-presidente do PV, Aloísio Nascimento, também reiterou agilidade e rigor nas investigações porque o principal “acusado é candidato a reeleição”. O presidente do PCdoB, Milton Alves, disse que as denúncias devem ser apuradas e os “culpados unidos”.

Fechar