Escrito por 10:16 Sem categoria

Delegado da PF com bagagem a mais faz vôo atrasar 1 hora

Compartilhe

JOSÉ MASCHIO
da Agência Folha, em Londrina

Um vôo da TAM de Foz do Iguaçu a Curitiba, no Paraná, atrasou a decolagem em 1h20 anteontem para esperar um delegado da Polícia Federal.

O presidente do Conselho Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu, Paulo Angeli, pediu esclarecimentos à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e também à Infraero (estatal que administra os aeroportos) sobre o episódio.

"Oficiamos a Anac e a Infraero para saber de quem foi a responsabilidade pelo atraso, da empresa aérea ou do delegado. Vamos denunciar o responsável ao Ministério Público Federal", disse Angeli, que foi chamado ao aeroporto de Foz do Iguaçu após o ocorrido.

Na tarde de domingo, segundo ele, o vôo 3886 da TAM atrasou a decolagem por determinação de agentes federais, que esperavam pelo embarque do delegado Jorvel Eduardo Veronesi, da PF em Macapá (AP).

O delegado teria chegado ao aeroporto quando o embarque dos passageiros já havia terminado. Os passageiros, já no interior do avião, tiveram que esperar que o delegado fizesse o despacho de sua bagagem, com 162 quilos de excesso de peso.

O vôo, programado para 16h20, acabou saindo de Foz do Iguaçu às 17h40, com destino a Curitiba.

"Houve ameaças, por parte de agentes federais, de prender o comandante do vôo ou o responsável em solo da TAM caso decolassem sem o delegado. Houve flagrante abuso de autoridade, mas também precisamos verificar qual foi a responsabilidade da empresa no episódio", afirmou Angeli.

Sem retorno

A Folha não conseguiu ouvir a TAM. O delegado Veronesi foi procurado, por telefone, na sede da PF em Macapá. A informação foi de que Veronesi estava fora da delegacia. Foi deixado um pedido de entrevista.

Às 18h07 de ontem, em novo telefonema à PF em Macapá, a reportagem foi informada de que Veronesi havia recebido o pedido, mas deixara a delegacia sem se pronunciar a respeito.

Close