por 12:30 Brasil, Cotidiano

Damares e Maurício Cunha anunciam app para crianças e adolescentes denunciarem violência

Ministra Damares Alves (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

A ministra Damares Alves, da Família, Mulher e Direitos Humanos, e o secretário nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Maurício Cunha, anunciaram a criação de um aplicativo voltado para crianças e adolescentes denunciarem casos de violência.

O aplicativo, elaborado em parceria com a Unicef e outras entidades, quer ajudar as próprias vítimas a denunciarem agressores, abusadores, estupradores e também ser um canal de informação para esse público.

“Adaptamos a linguagem, será um aplicativo com materiais lúdicos, histórias e depois a criança ou o adolescente será conduzido para um atendimento especializado. As próprias crianças e adolescentes farão as denúncias. Algumas crianças e adolescentes poderão ser salvas com esse aplicativo”, disse Maurício Cunha.

A Unicef confirmou o lançamento do app, mas disse que a ferramenta está em fase final de ajustes e, por isso, não poderia passar mais detalhes e nem a data que estará no ar.

O Governo Federal informou que o lançamento será no dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Ministra Damares Alves se reuniu com o delegado, escrivã e perito que trabalharam na conclusão do inquérito da morte do menino Cristofer — Foto: Reprodução/Facebook
Ministra Damares Alves se reuniu com o delegado, escrivã e perito que trabalharam na conclusão do inquérito da morte do menino Cristofer — Foto: Reprodução/Facebook

O anúncio foi feito em Cianorte, no noroeste do Paraná, durante uma reunião realizada a pedido da ministra para tratar do caso Cristofer, que morreu em março após ser violentamente agredido. Segundo a Polícia Civil, o autor do crime foi o padrasto do menino de 3 anos. O homem está preso.

“Quero pedir perdão a família do Cristofer. Preciso aqui fazer a minha mea-culpa, temos que avançar como Governo Federal, vim reconhecer que estamos longe do ideal. Mas, posso pedir que o menino Cristofer não seja esquecido, vamos fazer um pacto, um tratado para reduzir esses casos”, afirmou emocionada.

Para a ministra, a redução de casos de violência contra crianças e adolescentes só vai ocorrer com uma legislação mais severa e quando delegacias e equipamentos de proteção às vítimas de violência tiverem estrutura e tecnologia para atender e investigar os casos.

Continue lendo em G1.

Fechar