0 Shares 242 Views

Coluna Boca Maldita desta segunda, 21

21 de março de 2016
242 Views

dilma assustada

Curitibanos querem saída
A maioria dos curitibanos são favoráveis ao afastamento antecipado da presidente Dilma (PT). É o que indica pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas, realizada na última semana. De acordo com o levantamento, 80,4% dos moradores da capital são favoráveis à saída da presidente, seja por impeachment, renúncia ou cassação. Os contrários são 16,8% e 2,8% não souberam responder.

Impeachment, não
Com a abertura da comissão do impeachment, por 433 votos favoráveis e 1 contra, é hora de ver como se posicionam os parlamentares do Estado se posicionam. De acordo com levantamento da imprensa especializada, dos 3 senadores do Paraná, dois defendem o mandato de Dilma: Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT). Alvaro Dias (PSDB) é a favor da cassação da presidente.

Não
Requião e Gleisi são seguidos pelos deputados federais Aliel Machado (Rede), Enio Verri (PT), Zeca Dirceu (PT), Hermes Parcianello (PMDB), João Arruda (PMDB), Nelson Meurer (PP) e Toninho Wandscheer (PROS). Sete estão em cima do muro, abertos às negociações: Takayama (PSC), Ricardo Barros (PP), Ricardo Barros (PP),Assis do Couto (PMB), Diego Garcia (PHS), Dilceu Sperafico (PP), Leandre (PV) e Sérgio Souza (PMDB). Os demais parlamentares são favoráveis ao impeachment.

Preto no branco
Nesta segunda (21) será possível saber quem é quem nas bancadas da Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Como a janela partidária fechou às 23h49 de sexta-feira (18), ainda não tem informações precisas sobre mudanças partidárias. Em Brasília, até ontem (20), 43 deputados federais informaram à Mesa Diretora da Câmara a troca de legendas. O número pode ser maior, porque as excelências não são obrigadas a comunicar à Mesa de imediato. A surpresa ficou por conta do PP, com a maioria da bancada na mira do processo da Lava Jato no STF, foi o que mais filiou: ganhou 10 deputados. O DEM, que definhava, voltou a respirar na Câmara, efeito da crise na base governista. Quatro parlamentares aderiram à legenda da oposição.

Condenação confirmada
O deputado federal Enio Verri, presidente estadual do PT, está entre os ex-secretários do então prefeito José Cláudio Pereira Neto que foram condenados por improbidade administrativa e terão que pagar multa por terem acumulado irregularmente cargos comissionados na Prefeitura de Maringá com vencimentos na Universidade Estadual de Maringá, entre janeiro e julho de 2001.

Teto do funcionalismo
O deputado Ricardo Barros (PP-PR) vota nesta segunda em Brasília o projeto de lei 3123/2015 que trata do teto do funcionalismo público. Barros é o relator da proposta do Executivo que disciplina verbas indenizatórias e fixa normas para o cálculo do teto de remuneração de servidores públicos e agentes políticos. Barros quer participar da discussão e votação do tema antes de assumir a Secretaria do Planejamento do Governo Beto Richa.

Rejeição recorde
Na mesma semana em que foi indicado ministro da Casa Civil do governo Dilma, o ex-presidente Lula viu a taxa de rejeição a seu nome atingir o recorde de 57% em nova pesquisa Datafolha. Antes desse levantamento, seu pior índice, de 40%, havia sido registrado em setembro de 1994, quando ele disputou (e perdeu) a Presidência contra o tucano Fernando Henrique Cardoso.

Recorde II
Mesmo entre os mais pobres, Lula já é rejeitado por metade (49%) da população. O índice cresce conforme o avanço da renda familiar e chega a 74% entre aqueles que ganham dez ou mais salários mínimos por mês.

Saneamento
Foz do Iguaçu tem o 33º melhor índice de saneamento do Brasil. É o que aponta estudo da ONG Trata Brasil que avaliou os 100 maiores municípios do país. A nota da cidade é de 7.4, num índice que vai de 0 a 10. No âmbito estadual, a cidade fica em 5º lugar, atrás de Londrina (2º lugar nacional), Maringá (4º), Ponta Grossa (9º) e Curitiba (11º e 1º entre as capitais). Nacionalmente falando a situação não é boa: 51% dos brasileiros não tem acesso a rede de esgoto o que coloca o país em uma posição intermediária na América Latina.

Mais notícias para você:



Deixe um comentário

Your email address will not be published.