por 14:46 Sem categoria

CHE GUEVARA É EXEMPLO PARA JUVENTUDE, DIZ ROMANELLI

O líder do Governo na Assembléia Legislativa, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), rendeu nesta terça-feira (9) homenagem aos 40 anos da morte do médico argentino Ernesto Che Guevara de La Serna, líder da revolução cubana e um dos principais ícones das lutas dos povos latino-americanos. Completo em Reportagem

por 14:44 Sem categoria

CHE GUEVARA É EXEMPLO PARA JUVENTUDE, DIZ ROMANELLI

O líder do Governo na Assembléia Legislativa, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), rendeu nesta terça-feira (9) homenagem aos 40 anos da morte do médico argentino Ernesto Che Guevara de La Serna – líder da revolução cubana e um dos principais ícones das lutas dos povos latino-americanos. “A história de Ernesto Che Guevara é uma história que serve de exemplo a milhões de pessoas. Serviu e serve de exemplo até hoje tão forte foi seu exemplo de vida e luta. Che lutou pela justiça social, contra opressão, pela igualdade e pela liberdade dos povos da América Latina”, disse Romanelli.

O deputado disse ainda que a vida, a obra, a luta, a história e o exemplo de Che Guevara, um libertário na América, “é um exemplo para milhões, centenas de milhões de jovens no mundo inteiro”. “A sua fotografia, que corre o mundo inteiro, expressa a tez serena, mais ao mesmo tempo angustiada, de um grande lutador pela liberdade”.

“Estamos lembrando hoje a sua morte. Che foi assassinado na Bolívia, no dia 8 de outubro de 1967, pelos agentes da CIA, virou mártir, transformou-se em bandeira de luta da juventude”, completou Romanelli.

A imagem de Che Guevara – em cartazes, camisetas e bandeiras – presente em todos os recantos do todo mundo refuta, segundo Romanelli, a tentativa da revista semanal Veja em macular seu nome e memória. “A revista Veja é a grande porta voz da direita. A direita raivosa que não reconhece que Che é hoje amado pelos que acreditam na paz e na convivência pacífica entre os homens e as nações. O seu nome virou sinônimo de luta revolucionária. Sua presença na luta dos povos subdesenvolvidos é uma prova contundente do seu compromisso com a humanidade”, disse.

Luta atual – A luta de Che Guevara ainda é atual, defende o filósofo e cientista político Emir Sader. Mesmo 40 anos depois de sua morte os ideais de humanismo, solidariedade e rebeldia “atualizam a presença de Che”, afirma Sader, um dos organizadores do Fórum Social Mundial, cujo lema é “um outro mundo é possível”.

“Che teve um papel, e continua tendo, em que expressa a rebeldia, a vontade revolucionária diante da exploração, das injustiças, da opressão e da alienação”, afirma Sader, que ressalta a impressionante difusão da imagem do líder guerrilheiro no mundo, mesmo sem ter nenhum tipo de promoção, nem de Hollywood, nem de qualquer companhia privada. “Nenhum produto comercial está associado mundialmente a Che, só sua imagem e que está associada a ele”.

Futuro – Mas de onde vem essa capacidade de Che de continuar renascendo após décadas de sua morte? “É que as mesmas condições de opressão, de injustiça e de exploração continuam existindo nos dias de hoje”, responde Sader.

O estágio atual do capitalismo e da globalização, segundo Sader, não matou qualquer possibilidade de existirem outros Ches. Para ele, ainda é possível surgir muitas pessoas idealistas como Che. “A globalização neoliberal colocou a luta no plano mundial e o Che foi um dos que projetou a luta revolucionária a nível mundial, muito tempo antes. Evo Morales (presidente da Bolívia), Hugo Chávez (presidente da Venezuela) e Rafael Correa (presidente do Equador), entre outros, são descendentes de Che”, disse Sader.

Fechar